Publicado em: quarta-feira, 29/02/2012

BBB 12: Selva analisa as suas chances no jogo

Após a eliminação do carioca Rafa, os três sobreviventes da Selva especulam sobre as próximas Provas do Líder. “Se for mata-mata, a gente não ganha nenhuma e, se for de sorte, a gente corre o risco também”, analisa Yuri. Prevendo que a tendência é que eles sejam eliminados um a um, Renata dá a sua opinião. “A gente tem que ganhar o Líder ou o Anjo. Qualquer um de nós na final vai ser ótimo, um orgulho para a Selva”, diz.

“Não posso negar, gente. Voltar do Paredão é uma sensação indescritível. Dá um alívio… Mas, quando é com um amigo, não tem como comemorar muito, mas mesmo assim é um alívio. Vamos continuar sendo a gente e bola para frente. Vimos que malandragem não dá certo, mas vamos jogar”, afirma o recém-emparedado Yuri.

A gaúcha Monique pondera dizendo que malandragem tem mais a ver com o jeitão do Rafa. “Não sei… ele (Bial) repetiu muito isso no discurso”, responde o professor de Muay Thai. “Na real, acho que, quando um de nós está no Paredão, as palavras servem para todo mundo”, pondera Monique. “Pode ser que sim. Foi o discurso mais pesado até hoje, para mim”, conta Yuri.

Monique questiona sobre o significado do discurso feito por Bial durante a eliminação. “Não adianta querer manipular o Paredão antes da hora, não adianta querer… É, cara, deixa eu pensar primeiro antes de falar. As palavras aqui têm força gigantesca, senão a gente morre pela boca, que nem o Rafa morreu”, garante Yuri.

Durante seu discurso, Bial falou sobre o malandro carioca. “Simpatia é quando o malandro convida o freguês para zoar junto. Não tem charme a simpatia quando vira ironia, perde a graça. Nesse jogo da vida, é um peso e uma medida. Pesou, perdeu a medida, lá vem o castigo. É… você já falou demais, vem ouvir um bocado agora aqui fora, Rafa”, foram as palavras ditas no anúncio de que o carioca estava fora do jogo.