Publicado em: segunda-feira, 11/08/2014

Bandas que fizeram sucesso com o “colorido”, estão vivendo momento de baixa na carreira

Bandas que fizeram sucesso com o “colorido”, estão vivendo momento de baixa na carreiraNão faz muito tempo que a “era colorida” fez a cabeças dos jovens e adolescentes, há pelo menos cinco anos atrás, só se falavam nas bandas Cine e Restart e todo o estilo que eles carregavam. Conquistaram muitos fãs e estavam sempre em primeiro lugar nas paradas musicais nacionais. Ganharam prêmios na MTV Brasil, assim como vaias e muitas críticas. Após tanto sucesso em todo o país, mesmo que em um curto período de tempo, as bandas sumiram e foram trocadas por outros gêneros como o sertanejo universitário e o funk ostentação. Enquanto isso, os grupos permanecem produzindo e fazendo shows, em menor escala e sem os holofotes voltados totalmente à eles, mas continuam na ativa.

A Cine chegou a lançar dois álbuns, “Flashback” (2009) e “Boombox Arcade” (2011), e acabou conquistando o prêmio de banda revelação no Video Music Brasil, banda revelação e melhor banda nos prêmios Multishow de 2009 e 2010, agora eles vivem a tranquilidade, continuando seu trabalho mas sem tanta fama como antes. No ano passado, eles lançaram no mercado o álbum “Verano”, com a participação de MC Guimê, e atualmente estão produzindo músicas inéditas e as lançando mensalmente, como pílulas, para que os fãs possam acompanhar.

Mercado instável

Segundo o baterista Dave Casali, a banda não se importa com essa “baixa”, porque isso faz parte do mercado, e desse meio musical. Ele também comenta que quando começaram a fazer sucesso e estouraram na mídia, não conseguiam ao menos passear no shopping, mas hoje estão bem mais tranquilos, afirma que o grupo nunca parou de produzir e não levam isso como dificuldade, acreditando que da mesma forma que eles passaram por isso naquela época, agora também pode acontecer de outras formas. De acordo com o produtor Rick Bonadio que esteve à frente da produção do disco da banda Caps Look (“Um Pouco Mais”, de 2007), ressalta que o mercado é instável, e o segredo de cada artista está em saber que pode passar por um momento de baixa, mas mesmo assim se mantém firme.