Publicado em: quarta-feira, 05/10/2011

Banco americano reduz previsão de crescimento da economia brasileira

O banco nos Estados Unidos, Goldman Sachs informou nesta terça-feira (4) que reduziu a expectativa do crescimento da economia do Brasil para 2011 e 2012. O anuncio foi feito devido aos efeitos da deterioração da economia mundial que tem como epicentro a crise na zona do euro e também pela dificuldade dos EUA conseguir evitar um novo período de recessão.

De acordo com o banco, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiros deve crescer na faixa dos 3,5% em 2011. O índice fica abaixa a ultima projeção, que era de 3,7%. Já para o próximo ano, o crescimento caiu de 3,8% para 3,3%.

O relatório divulgado pelo Goldman Sachs indica que as projeções consideradas deveriam comportar um novo corte sobre a taxa básica de juros, a Selic, também a consideração de uma nova transmissão limitada para os possíveis reflexos da crise na Europa aos países emergentes. Porém, o documento ainda aponta que se as pressões continuarem a se espalhar por outras economias mundiais, os preços dos commodities e do dólar pode ser mais volátil nestes países.

“Uma migração mais rápida em direção a uma política de afrouxamento monetário na Europa, na China e outros países, bem como a adoção mais acelerada de um plano de recapitalização dos bancos da zona do euro ajudariam muito a controlar a situação”, explica o relatório.

Sobre a projeção da economia mundial, para o banco, o crescimento de 3,9% para 3,8% neste ano e de 4,2% para 3,5% em 2012.