Publicado em: segunda-feira, 03/09/2012

Baleias-jubarte chegam ao Brasil

Baleias-jubarte chegam ao Brasil Segundo dados divulgados pelo último censo que foi feito pelo Instituto Baleia Jubarte, foram identificados números recordes dessa espécie aqui no país. Apenas na região entre o litoral de Sergipe e litoral do Rio de Janeiro, foram registrados o aparecimento de 11.418 exemplares em 2011.

A pesquisa anterior, realizada no ano de 2008, registrou um total de 9.330 exemplares. O primeiro levantamento, feito em 2002, localizou apenas 3.396 animais. A área de pesquisa, porém, era bem menor, ou seja, era estendida da costa da Bahia até o Espírito Santo, em uma região que é conhecida como banco de Abrolhos, que é a localidade onde tem a maior concentração dessa espécie de baleias no país.

Apenas no ano de 2005 a busca foi ampliada do Rio Grande do Norte até São Paulo, pegando uma faixa maior do território nacional. O aumento da população das jubartes nos últimos anos está sendo visto com bons olhos pelos pesquisadores brasileiros. A espécie foi quase dizimada em águas nacionais logo depois que os espanhóis introduziram a caça, já no início do século 17. O crescimento da espécie se deve à suspensão da caça, que foi proibida no ano de 1987, bem como o auxílio e incentivo dos trabalhos de conscientização que estão sendo realizados.

Diversas comunidades de pescadores são orientadas para que não atuem em áreas de preservação, que são onde as baleias, mais efetivamente os filhotes, podem acabar se enroscando nas redes e terminam sendo mutilados ou até mesmo mortos.

Mesmo com isso, a presidenta do instituto, Márcia Engel, declarou que as jubartes não estão, ainda, em um ambiente seguro. Os dados apontam que elas sofrem com os riscos de atropelamentos devido às embarcações, e também enfrentam constantemente a escassez de seu principal alimento, que é um pequeno camarão conhecido como krill.

Márcia ainda avalia que é preciso fazer muito mais por esses animais especificamente. O número de baleias-jubarte atualmente, representa um índice de apenas 27% da população original antes do início da caça.

As baleias podem ser observadas na costa do país nos dias finais de julho até meados de outubro. Elas preferem ás aguas daqui para a reprodução e depois voltam para a Antártica.