Publicado em: sábado, 29/03/2014

Baixos níveis nos reservatórios do Sistema Cantareira teve novo recorde

Baixos níveis nos reservatórios do Sistema Cantareira teve novo recordeMais um recorde é batido pelos baixos níveis nos reservatórios do Sistema Cantareira, ele foi registrado ontem, sexta-feira (28). Esse índice chegou a 13,8% e pela primeira vez, alcançou um volume acumulado, sendo menor que 14%. O nível é menor que o marcado na última quinta-feira, que era 14%, mas meteorologistas já haviam avisado que as chuvas não apareceriam com frequência no outono, e confirmando isso, não chove desde segunda-feira (24), o que complica mais a situação.

Segundo Kleber Souza, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (InMet), a tendência é de redução das chuvas. O que tinha que chover, não choveu no verão. Agora é uma estação de transição, ainda chove um pouco, mas a tendência é de redução”, afirma. Com uma capacidade para 37,6%, esse mês de março, o Sistema Alto Tietê tem tido o nível mais baixo nos últimos dez anos.

De acordo com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), desde dezembro de 2013, as represas da região são responsáveis por abastecer parte da Zona Leste da capital, que geralmente é abastecida pelo Sistema Cantareira. De um tempo para cá, o Sistema do Alto Tietê pode ver seu volume de água cair gradativamente, em 11,3%.

Sistema Alto Tietê e Guarapiranga

A Sabesp diz que, com essa alteração, mais de 1,6 milhão de pessoas começaram a receber água de outros meios, do Sistema Alto Tietê e também do Guarapiranga. Por conta da situação emergencial, o governo estadual tomou essa decisão, porém só foi anunciada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin no dia 6 de março. Entretanto, segundo informações da Sabesp, a produção de água dos sistema continua muito baixo, mesmo depois do plano de emergência. Não se obteve informações se há um tempo determinado para que se continue usando os recursos do Alto Tietê.