Publicado em: quinta-feira, 16/02/2012

Avon apresenta queda nas vendas

Dados apresentados pela empresa na última terça-feira (14), mostram que a Avon não teve bons resultados no final de 2011. Os dados econômicos estiveram abaixo do esperado no último trimestre do ano.

O impacto foi a baixa nas vendas em todos os mercados, apenas com exceção do México. Além disso, a empresa teve queda de 3% no número de revendedoras que fazem o trabalho diretamente com os clientes, o que representou o pior número da década.

Mesmo com a divulgação desses dados, as ações da empresa subiram nesta tarde (15). Isso ocorreu depois que os executivos afirmaram que anunciarão corte de gastos para melhorar os números.

Maior queda ocorreu no Brasil e na Rússia

Os relatórios apontaram diminuição das vendas principalmente na Rússia e no Brasil. A empresa havia apostado nos dois países, depois da diminuição do mercado nos EUA.
No Brasil, houve queda de 1% no último trimestre e isso é resultado do desgosto dos representantes com o novo sistema de computador implantado no país. Já na Rússia a queda foi de 10% e se deve a acirrada concorrência de preços com outras empresas. O único mercado que apresentou elevação nas vendas foi o México, com um aumento de 12%.

Durante 2012, na gestão da presidente Andrea Jung, a empresa enfrentou problemas e gastou muito dinheiro. Teve baixo desempenho em países chave como Brasil e Rússia, despesas com uma investigação de suborno e passou por dificuldades para conter as quedas nos Estados Unidos.

Depois de todos estes problemas, a Avon anunciou nesta terça-feira (14) que haverá um substituto para presidir a empresa que assumirá a vaga antes do início de 2013. Jung foi presidente-executiva desde 1999 e disse que para 2012 o foco será a contenção de custos e a melhora nas vendas.