Publicado em: terça-feira, 10/07/2012

Autoridades russas falharam em alertar população sobre enchentes

No quesito de alertar e prover avisos adequados à população antes de as fortes chuvas atingirem a região de Krasnodar, no sul da Rússia, as autoridades russas falharam fortemente. As enchentes conseqüentes das chuvas chegaram a matar, no mínimo, 170 pessoas, de acordo com uma avaliação do governo federal.

Vladimir Puchokov, o ministro russo de Emergências, afirmou que alertas foram emitidos, mas que não teriam sido suficientes para que toda a população fosse avisada com tempo para se prevenir. Ele mesmo acrescentou que as autoridades locais cometeram erros e também vários outros serviços.

Já as autoridades locais responderam que os alertas informando sobre os riscos de enchente foram emitidos através de alto-falantes, mensagens de celular e também sirenes. Entretanto, muitas pessoas estariam dormindo no momento da enchente e não acompanharam os avisos.

Outras ações

Durante o final de semana, Vladimir Putin, o presidente do país russo, ordenou que fosse realizada uma investigação a respeito de como as autoridades locais reagiram à chegada das enchestes que devastaram a região, matando mais de uma centena de pessoas. O inquérito ainda tentará identificar se ocorreu negligência por parte das autoridades quanto ao cuidado com a população.

De acordo com a BBC, por conta da completa devastação da cidade de Krymsk, o chefe do governo local foi exonerado. Imagens que foram exibidas na televisão nos últimos dias, mostram as casa da região completamente submersas na água, com moradores em cima dos telhados tentando ficar salvos.

Fora as centenas de mortes, quase 20 pessoas permanecem desaparecidas desde o desastre na noite de sexta feira. As agências de notícia do país afirmaram que mais de duzentas pessoas estão em observação no hospital, tratando seus ferimentos, incluindo quase cinqüenta crianças.