Publicado em: segunda-feira, 12/09/2011

Autoridades confirmam aumento do número de vítimas em manifestações no Egito

O número de vítimas dos confrontes que vem acontecendo desde a sexta-feira (09) no Egito subiu, de acordo com autoridades hospitalares e da polícia. Até o momento, três pessoas morreram na madrugada deste sábado (10), enquanto uma fonte vinculada ao Ministério da Saúde teria informado que o número de feridos pode ter chegado a 837. As manifestações que acabaram em violência aconteceram nos arredores da Embaixada de Israel no Egito.

De acordo com um dirigente de Israel, quando os manifestantes egípcios invadiram o prédio da Embaixada ainda haviam seis israelenses no seu interior. Naquele momento, a preocupação com a segurança das pessoas dentro do edifício eram reais e levando em consideração a possibilidade de morte. Além disso, a fonte de Israel informou que os comandos egípcios foram os responsáveis por conseguirem tirar os funcionários do prédio em segurança. Quando os manifestantes invadiram o prédio, páginas de documentos “confidenciais” foram jogadas pela janela.

Com relação ao embaixador israelense no Egito, Yitzhak Levanon, um funcionário do aeroporto do Cairo declarou que Levanon conseguiu pegar um avião, junto com a sua família, para voltar à Israel. O governo de Israel confirmou a informação e afirmou que Levanon voltará ao seu posto quando estiverem “garantidas as condições de segurança da representação diplomática”.

As relações entre os dois países estão abaladas desde o ataque em agosto que deixou cinco policiais egípcios mortos. Os manifestantes invadiram a embaixada com martelos, barras de ferro, entre outras ferramentas, para derrubar o muro erguido pelo governo egípcio para proteger a embaixada.