Publicado em: quinta-feira, 12/07/2012

Aumento no número de casos da H1N1 faz crescer procurar por vacina no Rio Grande do Sul

Os crescentes números de casos da gripe H1N1 no estado do Rio Grande do Sul tem feito com que a população aumente a procura da vacina contra a gripe A. Por conta disso, estão sendo registradas longas filas e correria em diversas cidades gaúchas. Já casos em que os moradores tem passado a noite nas filas para esperar pela dose gratuita da vacina oferecidas nos postos de saúde. Há ainda registros de tumultos e até casos em que a polícia teve que ser chamada.

No Rio Grande do Sul pelo menos 23 pessoas já morreram neste ano em decorrência da H1N1. Por conta do crescimento no número de casos, o estado recebeu 800 mil doses extras da vacina. De acordo com as informações do governo federal, em todos os estados que compõem a região sul do país já foram registradas 69 mortes por conta da H1N1.

Inicialmente, a campanha de vacinação contra a gripe A feita pelo governo previa que ela seria feita para grupos de risco, como gestantes e idosos. No entanto, mesmo com o envio das doses extras, ainda não há vacinas suficientes para atender toda a população. Assim, cada cidade está definindo as prioridades na vacinação.

Em Santa Rosa, município que fica a 486 km de Porto Alegre, a vacina foi dada por ordem de chegada. Foram aplicadas 9 mil doses. Já na cidade de Cruz Alta, que fica a 343 quilômetros da capital, foram aplicadas 15 mil vacinas em dois dias. Na cidade foi registrada muita confusão e até a venda de lugares na fila de espera para receber a dose.

As vacinas contra a H1N1 costumam ser comercializadas por clínicas particulares, onde custam cerca de R$ 50, mas por conta da alta procura, elas estão em falta em todo o estado, o que faz que a procura das doses gratuitas seja ainda maior.