Publicado em: segunda-feira, 09/04/2012

Ator que interpretou Judas e se enforcou acidentalmente está em recuperação

Os familiares do ator Thiago Klimeck, de 26 anos, acreditam que o acidente envolvendo o irmão neste final de semana está relacionado a alguma falha técnica nos equipamentos de segurança. Thiago interpretava Judas na encenação da Paixão de Cristo na cidade de Itararé, quando acidentalmente se enforcou. A família não estava presente no espetáculo, mas aposta em um defeito no equipamento.

O cunhado de Thiago, Leandro Luiz Bueno, explicou que a família acompanha a apresentação todos os anos, mas precisaram faltar porque o filho estava doente. Ele ainda comentou que seria muito difícil para a família estar presente no momento do enforcamento.

Fabiana Bueno, a irmã de Thiago, visitou o ator no hospital e saiu bastante emocionada. Ela ainda declarou que a família confia na recuperação do irmão, lembrando que Thiago sempre foi tratado como um de seus filhos.

A informação de Fabiana é que o ator permanece em coma, com uma infecção pulmonar já tratada. O estado é grave e ele continua na UTI da Santa Casa de Misericórdia de Itapeva. A família nega a possibilidade especulada por alguns de tentativa de suicídio.

As especulações

Testemunhas do grupo teatral informaram que o ator usava um colete com cadeira de segurança, onde deveria estar sentado ao longo da cena em que interpretava o enforcamento.

Na peça, a cadeira estava fixada em uma corda de seis metros e a outra extremidade ficava amarrada em uma árvore. Thiago teria então subido a escada que ficava debaixo da árvore, saltando do último degrau. Não se sabe ainda se o enforcamento ocorreu devido à corda ou ao colete.

O responsável pela amarração da corda no colete, o carrasco na peça, André Luiz da Cunha, informou que o procedimento foi realizado normalmente, tendo ocorrido tudo bem no ensaio. Thiago acabou passando pelo menos quatro minutos sufocados, já que nem os colegas da peça ou o público perceberam que ele estava desacordado, pois no momento da peça, ele deveria se passar por morto.