Publicado em: quarta-feira, 12/03/2014

Atlético-PR utilizou dinheiro de estádio em contratação de atleta

Atlético-PR utilizou dinheiro de estádio em contratação de atletaNesta terça-feira, 11 de março, começou a circular a informação de que o Atlético-PR se utilizou de verbas da construção da Arena da Baixada para a contratação do lateral direito Léo, que na época da negociação estava no Vitória. Atualmente, Léo defende o Flamengo.

A transação veio à tona após a divulgação de um documento, datado de 26 de dezembro de 2013, no qual a CAP S/A transferiu R$1,5 milhão para o Esporte Clube Vitória. Contudo, a CAP S/A é uma empresa criada exclusivamente para a captação de recursos públicos para a reforma da Arena da Baixada. O dinheiro, portanto, não poderia ser utilizado na aquisição de jogadores. O valor pago pela CAP S/A ao Vitória era referente a 50% dos direitos econômicos do atleta.

Valores

Ao todo, a CAP S/A possuía R$226,4 milhões em caixa, obtidos através de financiamentos do BNDES e do governo do estado do Paraná. O próprio Atlético-PR também investiu cerca de R$38 milhões na empresa. Portanto, é impossível saber se o R$1,5 milhão utilizado na tentativa de negociação com Léo saiu do próprio Atlético-PR ou de verbas do governo e do BNDES.

De qualquer maneira, mesmo que o dinheiro fosse do Atlético-PR, a quantia não poderia ser retirada da CAP S/A, que foi constituída com o único propósito de reformar a Arena da Baixada – que, curiosamente, é o estádio mais atrasado dentre aqueles que receberão partidas da Copa do Mundo.

Movimentação estranha

De acordo com o secretário da Copa em Curitiba, Reginaldo Cordeiro, a CAP S/A só pode investir na reforma da Arena. O secretário declarou que não tinha conhecimento desta movimentação financeira com o Vitória, classificando a transação como “estranha”. O coordenador geral da Copa no Paraná, Mário Celso Cunha, afirmou que também não estava ciente da transferência deste valor, mas reforçou que o dinheiro da CAP S/A é exclusivo para a Copa do Mundo.

Transferência

O depósito feito pelo Atlético-PR ao Vitória tinha como objetivo adquirir metade dos direitos econômicos do lateral Léo. Contudo, após o depósito, as diretorias das duas equipes se desentenderam, e a negociação não avançou. Léo acabou sendo contratado pelo Flamengo e, agora, a diretoria do Atlético-PR quer receber de volta o dinheiro pago ao Vitória.

Até o momento, nenhuma das diretorias envolvidas na negociação se manifestou a respeito dos valores. Contudo, o Vitória dificilmente sofreria uma punição relacionada ao caso. O mesmo não pode ser dito do Atlético-PR, que tentou utilizar verba pública para fins particulares.

Curiosamente, a falta de verba foi um dos grandes problemas da Arena da Baixada nos últimos meses, o que levou o estádio a ficar seriamente ameaçado como sede da Copa do Mundo. No começo deste ano, o Atlético-PR afirmou que teria verba para tocar as obras apenas até o final de fevereiro. Para resolver a situação, o governo do estado se comprometeu a tentar conseguir mais R$65 milhões em empréstimos com o BNDES. Caso o dinheiro seja levantado, o valor será depositado na conta da CAP S/A.