Publicado em: terça-feira, 18/02/2014

Atlético-PR pode ser multado em R$100 milhões se Curitiba for excluída da Copa

Atlético-PR pode ser multado em R$100 milhões se Curitiba for excluída da CopaNesta terça-feira (18), às 15h, a FIFA finalmente anunciará o destino de Curitiba na Copa do Mundo de 2014. Embora os primeiros indícios apontem para a permanência da capital paranaense no cronograma, ainda existe uma possibilidade real de que a cidade fique de fora do Mundial. E, caso isso aconteça, as punições financeiras ao Atlético-PR, responsável pela Arena da Baixada, podem chegar à casa dos R$100 milhões.

Responsabilidades

Se Curitiba for excluída, há uma grande possibilidade de que tenha início um verdadeiro efeito dominó na Justiça. Isso porque, de acordo com a Lei Geral da Copa, a responsabilidade sobre possíveis danos à realização da Copa do Mundo é do Governo Federal.

Contudo, a mesma lei estabelece que a União tem o direito de buscar o ressarcimento das multas. Neste caso, o pagamento ficaria sob responsabilidade de quem causou o dano – no caso, os administradores da Arena da Baixada. Este encadeamento de responsabilidades termina no dono do estádio, ou seja, o Atlético-PR.

Prazos

De acordo com Eduardo Carlezzo, advogado especializado em questões esportivas, a FIFA não deve aplicar qualquer sanção enquanto a Copa não terminar, para evitar problemas de relacionamento ainda mais graves. Contudo, após o término do Mundial, teriam início as disputas judiciais entre a União e os responsáveis pela Arena. Tudo isso, claro, se Curitiba realmente for excluída como sede.

Charles Botta, consultor de estádios da entidade máxima do futebol, deve desembarcar nesta manhã em Curitiba, chegando à Arena da Baixada às 11h30. Antes, Botta deve se reunir com representantes do governo municipal. Jérôme Valcke, secretário geral da FIFA, será informado sobre a aprovação ou não da Arena da Baixada por telefone.

Informações

De acordo com Mario Celso Cunha, secretário do Mundial no Paraná, engenheiros da FIFA têm acompanhado as obras, fazendo relatórios diários sobre o andamento da construção. Por isso, Charles Botta já deve ter uma opinião formada antes mesmo de desembarcar na capital paranaense. A visita do consultor será apenas para que ele possa confirmar visualmente todas as informações que já obteve.

Mario Celso acredita que não existam motivos para a exclusão de Curitiba. O secretário declarou que a Arena da Baixada recebeu tudo aquilo que foi solicitado pela FIFA, como aumento no número de trabalhadores, instalação de 15 mil cadeiras e conclusão do gramado.

Problemas internos

Os problemas relacionados à Arena da Baixada começaram a se complicar em dezembro, pouco antes do sorteio dos grupos do Mundial. Na ocasião, houve uma reunião entre membros da FIFA e responsáveis pela Arena da Baixada, na qual ficaram claros os conflitos internos dos administradores da Arena. Mario Celso Petraglia, presidente do Atlético-PR, e Reginaldo Cordeiro, secretário da Copa em Curitiba, chegaram a discutir de maneira exaltada.

Recentemente, Patraglia declarou que o governo do estado não havia cumprido as parte no acordo para o andamento das obras. O governador Beto Richa respondeu às críticas de maneira dura, sugerindo que o presidente do Atléitco-PR estava simplesmente mentindo sobre a situação.