Publicado em: sexta-feira, 07/03/2014

Atleta brasileira já consegue mover cadeira de rodas

A atleta Lais já consegue mover cadeira de rodasA atleta brasileira Lais Souza que se machucou no final de 2013, continua em recuperação e os médicos não podem nem precisar o quanto a atleta conseguirá recuperar depois do dano que sofreu, quase perdendo a vida por conta do acidente. Entretanto, em pouco mais de um mês após o ocorrido, a equipe médica já se mostra bastante animada com a evolução apresentada no quadro de Lais, que vem sendo tratada em um hospital universitário em Miami. De imobilidade total, Lais já consegue passear com a cadeira de rodas elétrica sozinha pelos jardins do hospital, controlando conforme suas limitações permitem.

O médico do COB Antonio Mattos Jr, declarou em entrevista a um portal de notícias algumas informações sobre a recuperação de Lais, já que vem acompanhando o caso desde o seu desenrolar. Atualmente, de acordo com ele, Lais estaria conseguindo se movimentar apenas até a região peitoral, mas que abaixo disso já foram identificados alguns avanços com relação a sensibilidade. A região lesionada ainda tem o edema, mas o médicos continuam aguardando o quanto isso poderá afetar na recuperação dos movimentos de Lais.

Entretanto, o médico explica que o que mais chama atenção é a determinação de Lais em lutar para conquistar qualquer avanço em seu quadro, desde a ocasião do acidente, durante a preparação para as olimpíadas de inverno. Ela sofreu lesões na terceira vértebra, que acabou se deslocando do restante da posição normal da coluna, resultando em danos na medula espinhal. Lais precisou passar por dias difíceis, lutando para morrer. Hoje já consegue respirar sozinha, além de se alimentar normalmente, conversar e poder se distrair vendo filmes, ouvindo música ou passeando pelo hospital.

Lais já consegue controlar os movimentos da cadeira de rodas elétrica, que depende apenas do toque do queixo e movimentos dos braços para se movimentar. O médico destacou que tem sido muito positivo para o tratamento dela poder passear pelos jardim, permitindo ainda que a família faça planos como saídas a restaurantes e cinemas, frisando que atividades sociais deste tipo serão muito positivas no processo de recuperação.