Publicado em: sábado, 30/07/2011

Atirador norueguês planejava outros ataques para atingir governo do país

Durante a segunda sessão de depoimentos prestados pelo autor confesso do duplo ataque terrorista que aconteceu na Noruega na sexta-feira (22), Anders Behring Breivik, o terrorista admitiu que tinha planejado atingir outros lugares além da sede do governo em Oslo e o acampamentos de jovens do Partido Trabalhista, na Ilha de Utoya. No total 76 pessoas foram mortas, sendo que 68 delas estavam no acampamento e as outras oito foram atingidas pela explosão do carro-bomba.

Quem repassou a informação à imprensa local foi o promotor da Noruega, Paal-Fredrik Hjort Kraby. De acordo com ele, “durante seu [de Breivik] interrogatório, disse que planejava atacar outros objetivos, mas que, em 22 de julho, só tinha a sede do governo e a ilha de Utoya. Não desejo comentar a quantidade ou natureza dos objetivos que tinha em mente. São objetivos evidentes para um terrorista e a ideia era atingir o governo.” Além disso, o advogado do atirador, Geir Lippestad, informou que Breivik havia planejado mais um ataque para a mesma sexta-feira.

Quando Breivik chegou ao local do acampamento e começou a atirar nos jovens que estavam no local, aqueles que perceberam o que estava acontecendo antes de serem vistos pelo atirador conseguiram ligar para as suas famílias.

No momento em que a polícia chegou à Ilha de Utoya, Breivik se entregou com as mãos para o alto e não demonstrou que iria resistir à prisão. Antes desse depoimento no qual deu a entender que tinha outros planos para atacar o governo norueguês, Breivik leu parte do seu manifesto em outra sessão, o qual permite entender as ideologias do terrorista.