Publicado em: sexta-feira, 20/04/2012

Atirador diz que reprimiu emoções no massacre na Noruega, mas que é simpático

Nesta sexta-feira (20), o extremista Anders Behring Breivik afirmou em seu julgamento que teve que omitir as suas emoções para ter condições de realizar os ataques no ano passado. Mesmo com esta declaração, Breivik afirmou ser uma pessoa “muito simpática”, segundo a reportagem da AFP. O ultradireitista está sendo julgado por assassinar 77 pessoas na Noruega.

Breivik contou a corte, em seu quinto dia de julgamento, que a partir de 2006 começou a reprimir emoções para poder executar sua tarefa. Dentre as medidas adotadas, ele afirma que fez meditação e cortou relações com várias pessoas para poder se preparar para o massacre que cometeu no dia 22 de julho de 2011. Ele disse também que não é um “caso psiquiátrico”.

Massacre

No dia 22 de julho de 2011, Anders Bhering Breivik atirou contra diversos jovens que estavam participando de um evento na ilha de Utoya, o que causou a morte de 69 pessoas. Horas antes deste ataque, o extremista tinha explodido um carro na sede do governo do país, o que provocou a morte de mais oito pessoas que passavam pelo local.

Breivik conta, de acordo com a reportagem, que utilizou métodos para poder desumanizar as pessoas e concluir os ataques. Ele afirma que não tivesse adotado este mecanismo, não teria tido êxito. O extremista de 33 anos falou para a corte que não é uma pessoa racista. A dúvida da Justiça norueguesa é se Breivik irá cumprir sua pena na cadeia ou em um hospital psiquiátrico.