Publicado em: quinta-feira, 15/12/2011

Atirador belga tinha extensa ficha criminal e possuía armas

O atirador do atentado em Liege, cidade da Bélgica, identificado como Nordine Amrani, tinha longa ficha criminal e temia voltar à prisão, de acordo com autoridades belgas, que também revisaram o quadro de vítimas e corrigiram o número de mortos para quatro, ao contrário dos cinco que haviam sido inicialmente divulgados. A cidade onde o ataque aconteceu é a terceira maior do país belga. Os crimes cometidos por Amrani incluíam posse de drogas e armas.

As vítimas que morreram são dois adolescentes, de 15 e 17 anos, um bebê de 18 meses e uma mulher que foi encontrada morta na residência do atirador. Na terça-feira (13), as autoridades haviam divulgado que uma idosa de 75 anos tinha morrido no atentado. Contudo, a senhora se encontra hospitalizada em estado grave. No dia do atentado, Amrani deveria ter comparecido à delegacia para prestar esclarecimentos sobre acusações de agressão sexual, mas isso nunca aconteceu.

No dia anterior ao ataque, Amrani fez uma transferência de dinheiro à conta da sua companheira e enviou uma mensagem dizendo “te quero, meu amor. Boa sorte!”. Em 2008, Amrani foi condenado a cinco anos de prisão por conta de um arsenal de armas, com peças e armas completas, e pela posse de 2.800 plantas de maconha.

No ano seguinte, porém, um tribunal absolveu a condenação da posse de armas, pois Amrani tinha autorização de posse para todas elas. Autoridades afirmaram que o atirador não tinha vínculo com organizações políticas ou militares, nem problemas psiquiátricos, o que gerou dúvidas quanto às motivações para realizar o ataque.