Publicado em: segunda-feira, 21/05/2012

Atingidos por terremoto passam noite em acampamentos na Itália

Foi preciso que as diversas pessoas que deixaram suas casas depois do forte terremoto na Itália passassem a noite em abrigos, já que outros tremores ainda atingiam a região. Ao menos sete mortes já foram confirmadas e mais de 50 pessoas ficaram feridas quando o tremor com magnitude seis atingiu, no começo do domingo, a região da Bolonha. Muitos edifícios considerados históricos ficaram danificados.

A prioridade no momento, de acordo com as autoridades italianas, é encontrar acomodações seguras para as aproximadamente três mil pessoas desabrigadas. Barracas foram montadas em um campo de futebol pela equipe de segurança civil de Finale Emilia, para acomodar centenas de pessoas. A maioria teve suas casas destruídas, mas outra parte apenas teme retornar aos lugares com novos tremores.

Diego Gottarelli, coordenador da equipe, afirmou que a situação é bastante tensa, mas ainda contornável. De acordo com ele, os acampamentos foram montados em caráter de emergência para as pessoas que estão com medo de ficar dentro de suas casas, de forma que a população pudesse passar momentos de tranqüilidade em ambientes seguros, até que os tremores cessem.

Novos abalos

Outro tremor, atingindo magnitude de 5,1, também atingiu a região já na tarde de ontem, domingo (20), destruindo outros edifícios que já estavam fragilizados. O primeiro terremoto registrou epicentro entre as cidades de Sermide, San Felice sul Panaro e Finale Emilia, localizadas a aproximadamente 35 km de Bolonha. Até cidades mais ao norte, como Milão e Veneza, sentiram o tremor.

As vítimas dos abalos somam dois trabalhadores de uma fábrica de cerâmica em Sant’Agostino. Outra vítima, um trabalhador de Tecopress di Dosso, morreu após o desabamento do telhado em que ele estava. Três mulheres morreram com um ataque cardíaco no momento do tremor.

O terremoto de ontem é o pior na história da Itália desde o L’Aquila, onde morreram mais de 300 pessoas, no ano de 2009. A região norte italiana é atingida com freqüência por tremores de pequeno porte.