Publicado em: sexta-feira, 29/07/2011

Atentado na Noruega: Encerradas as buscas por desaparecidos em Ilha de Utoya após tiroteio em acampamento

A polícia da Noruega responsável pelas operações vinculadas aos atentados terroristas que aconteceram na última sexta-feira (22) anunciou nessa quinta-feira (28) que foram encerradas as operações de buscas por pessoas que poderiam estar desaparecidas na Ilha de Utoya, local onde ocorreu o tiroteio contra jovens participantes de um acampamento do Partido Trabalhista. O autor confesso dos crimes, Anders Behring Breivik, está detido e já participou de uma sessão de julgamento.

O número contabilizado de mortos nos dois atentados chegou a 76 pessoas. O tiroteio no acampamento deixou 68 mortos, enquanto o carro-bomba que explodiu no centro político de Oslo, capital do país, resultou em oito vítimas. Quando a polícia norueguesa chegou ao local do acampamento, Breivik se entregou com as mãos ao alto e sem demonstrar sinais de que iria resistir à prisão. Durante seus depoimentos, Breivik comentou que acreditava que seria detido mais cedo e ele mesmo se surpreendeu com o resultado dos ataques.

Caso Breivik seja julgado de acordo com o Código Penal norueguês, a pena máxima que poderá ser atribuída pelos crimes praticados é de 21 anos. Por conta disso, o autor confesso dos atentados provavelmente será julgado por crimes contra a humanidade, pois, nesse caso, a pena poderá subir para 30 anos.

O norueguês prestou seu primeiro depoimento, o qual durou cerca de sete horas, e agora se encontra em regime de prisão preventiva e isolado de outras pessoas. Somente seu advogado e membros da polícia tem autorização para entrar em contato com Breivik e nenhum membro da sua família demonstrou querer prestar uma visita ao detento.