Publicado em: terça-feira, 26/07/2011

Atentado na Noruega: Atirador demonstra sinais de insanidade

Advogado do terrorista norueguês, Geir Lippestad, defende que seu cliente, Anders Behring Breivik, é insano e que provavelmente realizou os ataques como um ato da sua loucura. Além disso, Lippestad afirma que Breivik teria tomado drogas antes de entrar no acampamento juvenil para que ele se sentisse “forte, eficiente e alerta”. O advogado ainda não sabe se o seu cliente vai pedir para entrar com uma alegação de insanidade que ajude a minimizar os danos do seus crimes.

O advogado conversou com a imprensa em uma coletiva. De acordo com ele, o seu cliente ficou impressionado com a proporção do seu plano, pois imaginava que seria detido muito antes. Além disso, Lippestad informou que o seu cliente esperava ter morrido no acampamento quando fosse preso pelos policiais. Por comentários como esses, Lippestad afirma que seu cliente é uma pessoa fria e que não demonstra empatia pelas vítimas dos seus atentados.

Ambos os ataques, do carro-bomba e do acampamento juvenil, foram planejados por Breivik. No acampamento, o norueguês teve 90 minutos para atirar contra os jovens que estavam no local e deixou 68 mortos. Ao mesmo tempo, o carro-bomba explodiu um pouco antes da sua chegada à ilha onde os jovens se encontravam, mas a explosão deixou oito mortos.

De acordo com o juíz que realizou a audiência com Breivik, o acusado teria falado que “a operação não tinha o objetivo de causar o maior número de mortes possível, mas emitir um forte sinal que não pudesse ser confundido de que, enquanto o Partido Trabalhista continuar levando adiante suas mentiras ideológicas e desconstruindo a cultura norueguesa e importando muçulmanos em massa, terá de assumir a responsabilidade por sua traição.”