Publicado em: quarta-feira, 31/08/2011

Atendimentos caros no SUS devem ser pagos por planos de saúde

Nesta terça-feira (30), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aprovou uma medida aonde cobra que as operadoras de planos de saúdem façam o pagamentos a todos os atendimentos ambulatoriais considerados de alta complexidade realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Entre os itens na lista estão o atendimento a serviços de saúde mental, como psiquiatras e também quimioterapia.

Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a nova medida busca estabelecer novos critérios que devem melhorar a forma de pagamento e cobrança a todos os procedimentos de pacientes que possuem algum tipo de plano de saúde. Padilha ainda disse que com o anuncio da ANS, agora a quantia que for recolhida pelos procedimentos deve ser repassada ao Fundo nacional de Saúde (FNS).

“Por muitos anos, o dinheiro era arrecadado, mas a ANS não conseguia repassar esse recurso para o SUS usar em melhorias no atendimento à população”, disse Padilha. No sistema antigo, o dinheiro cobrado era passado aos gestores do SUS, que então realizavam a transferência as unidades de saúde. Atualmente, a ANS possui R$ 62 milhões que deve ser transferido ao FNS.

Nas próximas semanas a ANS deve anunciar quais serão os critérios e os valores considerados mínimos para o recolhimento. Dessa forma, deve ser evitada a cobrança que tem um custo administrativo superior ao valor original. “Às vezes, você tem muitas cobranças de valores muito pequenos. O trabalho para fazer a cobrança de um procedimento muito barato era igual ao de um procedimento de altíssima complexidade”, comentou o ministro.