Publicado em: quarta-feira, 23/04/2014

Assassinato do menino Bernardo pode ter sido motivado por causas financeiras

Assassinato do menino Bernardo pode ter sido motivado por causas financeirasAs motivações que levaram ao assassinato do menino Bernardo Boldrini ainda são desconhecidas, o pai do menino Leandro Boldrini além da madrasta e uma amiga do casal permanecem presos.

O crime que chocou o Rio Grande do Sul e também o país pode ter sido motivado pela herança do menino, que foi deixada por sua mãe que se suicidou, segundo informações os documentos para que o garoto recebesse sua parte já estariam próximos de sair.

Alguns veículos de comunicação dão conta de que o menino já havia comunicado a justiça em um tribunal do Rio Grande do Sul que a madrasta não gostava dele e nem ele dela e que seu pai passava a maior parte do tempo fora de casa, o que dificultava ainda mais a sua permanência na companhia da madrasta.

A delegada que investiga o caso Caroline Bamberg disse que tem provas de que os três envolvidos, dentre eles o pai de Bernardo, participaram do crime e nenhuma linha de investigação está sendo descartada, porém o caso está sob segredo de justiça por se tratar de um caso de comoção nacional, sendo assim a delegada disse que não poderia fornecer maiores informações à respeito das linhas de investigação do caso, bem como as direções que essas tomarão agora.

A avó do menino afirma que era muito preocupada com o neto e que tinha um amor grande por ele, como se ele fosse seu filho, em algumas entrevistas a senhora informou que por muitas vezes vizinhos da casa onde Bernardo morava lhe passavam informações de que o menino não era bem tratado na casa onde vivia

De acordo com algumas informações passadas por diversos veículos de comunicação a motivação do crime poderia ter sido a herança que o menino Bernardo receberia nos próximos dias, que foi deixada por sua mãe, segundo o raciocínio, o pai e a madrasta teriam decidido matar o garoto para não permitir que ele fosse viver com sua avó, já que com isso ela teria direito a administrar os bens que caberiam a Bernardo até que o menino completasse 18 anos de idade.

A delegada que cuida do caso disse que maiores informações serão passadas assim que todos os laudos, incluindo o laudo que foi feito para apurar as causas da morte de Bernardo, estiverem prontos, com esses resultados será possível saber o que de fato aconteceu com Bernardo no dia do assassinato e se o menino foi enterrado vivo, já que de acordo com a amiga do casal, que foi a denunciante e também está presa, a madrasta de Bernardo teria aplicado uma injeção no garoto e também teria jogado soda cáustica no corpo do menino antes de enterrá-lo.