Publicado em: sexta-feira, 29/06/2012

Assange recusa se entregar à polícia britânica

Nesta sexta-feira (29), um dos porta-vozes de Julian Assange, fundador do polêmico site WikiLeaks, afirmou que o ex-hacker não vai se entregar para a polícia britânica, que começou o processo de extradição de Assange para a Suécia. Além disso, a porta-voz Susan Benn também disse que Assange irá permanecer na embaixada do Equador esperando que o país tome uma decisão a respeito do seu pedido por asilo político.

A declaração foi dada pela porta-voz em frente à embaixada, na qual Assange está refugiado há 10 dias. Benn disse à imprensa que o ex-hacker australiano foi aconselhado por seus advogados a não obedecer à intimação da polícia para que ele fosse até uma delegacia em Londres nesta sexta-feira.

Falta de respeito

De acordo com a porta-voz em sua declaração para a mídia, a atitude de Assange não deve ser considerada como um desrespeito. Isso porque a legislação internacional assim como a legislação britânica afirma que os pedidos de asilo político são superiores aos pedidos de extradição. Enquanto Assange estiver dentro da embaixada do Equador, as autoridades britânicas não poderão pegá-lo. Mas a polícia inglesa já avisou que o australiano poderá ser preso assim que sair da legação.

Benn declarou também que Assange parece animado e agradecido por ter recebido apoio do povo equatoriano e também de diversas pessoas ao redor do mundo. Julian Assange buscou refúgio na embaixada do Equador no dia 19 de junho para tentar não ser enviado para a Suécia. O país deseja interrogá-lo a respeito de casos de agressão sexual.