Publicado em: sexta-feira, 14/03/2014

Artigo do The New York Times detona Roberto Carlos e espetáculo de dança com sua trilha sonora

Artigo do The New York Times detona Roberto Carlos e espetáculo de dança com sua trilha sonoraUm crítico de artes do jornal americano The New York Times detonou Roberto Carlos em um artigo sobre o espetáculo de dança “As Canções Que Você Dançou Pra Mim”, da Focus Cia de Dança. A trilha sonora do cantor embala a apresentação. O colunista Brian Seibert afirmou que, se o público tiver a mesma impressão que ele, fica indiferente ao rei.

Segundo ele, as músicas devem ser incríveis e clássicas para quem nasceu as ouvindo, mas para aqueles que são de outras culturas e países elas não passariam de cópias inferiores e genéricas de músicas como surf rock, R&B e funk, apenas finalizadas com baladas românticas que, de acordo com ele, lembram as de Julio Iglesias.

Seibert salientou no texto que Roberto Carlos, que tem 50 anos de estrada, já foi chamado de “Elvis brasileiro” e “Frank Sinatra brasileiro”, ironizando as comparações. As críticas, entretanto, não foram direcionadas apenas a Roberto Carlos. O espetáculo foi alfinetado pelo comentarista, que criticou o excesso de solos da produção, que expuseram a “técnica irregular dos dançarinos”. A coreografia de Alex Neoral foi considerada vazia e sem direção.

Fase de críticas

Parece que Roberto Carlos está passando por um inferno astral. Isso porque a crítica do The New York Times não foi a única. O rei tem sido atacado, especialmente nas redes sociais, por sua recente participação em comerciais de uma marca de carne.

As críticas se devem ao fato de que Roberto Carlos não come carne há décadas, e ele teria abandonado o vegetarianismo e incentivado o consumo de carne vermelha devido a um contrato milionário. O desempenho dele em frente às câmeras também tem sido alvo de críticas e sátiras.

O empresário do cantor, Dody Sirena, saiu em defesa de Roberto Carlos, afirmando que ele jamais foi vegetariano, apenas preferiu não consumir carne, e ressaltou que o artista é dono de criações de gado de corte, um fato que é comumente lembrado pela mídia especializada.