Publicado em: sábado, 03/12/2011

Arqueólogos discutem profecia maia sobre o “fim do mundo em 2012”

Arqueólogos dos mais diferentes países se reuniram em Chiapas para desvendarem os mistérios sobre a civilização maia que previa o fim do ano para 2012. Esta teoria é conhecida mundialmente e é contada para os visitantes que vão ao México, Guatemala e outras localidades onde esta civilização existiu. A teoria está no monumento nº 6 no sítio arqueológico de Tortuguero.

De acordo com o Instituto Nacional de Antropologia e História (Inah), a interpretação se que em 21 de dezembro de 2012 seria o fim do mundo está equivocada. Através de uma revisão, o instituto acredita que esta data, na realidade, marcaria a volta de Bolon Yokte´, um dos deuses da mitologia maia.

O pesquisador do Instituto de Pesquisas Antropológicas da Universidade Autônoma do México (Unam), Rodrigo Liendo, disse a BBC que a civilização maia nunca disse que aconteceria uma catástrofe em 2012. Para ele, a visão de fim do mundo foi dada pelos ocidentais e não é uma característica dos maias.

Verdade ou não, o “fim do mundo” é um negócio muito lucrativo para os mexicanos. O governo do México está realizando uma campanha para levar turistas para o sudeste, área em que se localizam os sítios arqueológicos da civilização maia. Além disso, vários outros governos de locais onde se encontram as ruínas deste povo registram um crescimento de turistas.