Publicado em: quinta-feira, 22/09/2011

Aproximadamente 70% dos médicos no Espírito Santo aderiram ao boicote

De acordo com o presidente da Associação Médica do Espírito Santo (Ames), Dr, Antônio Carlos de Rezende, aproximadamente 70% dos médicos aderiram ao boicote aos planos de saúde, nessa quarta-feira, dia 21 de setembro. Segundo o médico, podem ocorrer novas medidas além da paralisação.

A principal meta dos profissionais de saúde é atingir o valor de 80 reais por consulta realizada. Rezende afirmou novas ações serão feitas para que eles atinjam seus objetivos. Para explicar as reivindicações, o médico diz que, com as consultas custando cerca de 40 reais, é preciso que eles façam 14 consultas para atingirem um salário mínimo de 545 reais.

O médico e presidente da Ames informou que a adesão de 60 a 0% dos profissionais ao boicote foi satisfatória, e a paralisação só aconteceu na quarta-feira. Segundo ele, caso não sejam atendidos, os médicos podem pedir o descredenciamento dos planos de saúde.

A cooperativa Unimed Vitória informou que os associados foram atendidos normalmente na quara-feira. A assessoria dos planos de saúde PHS e São Bernardo também confirmaram atendimento no dia 21 de setembro.