Publicado em: segunda-feira, 03/06/2013

Apple vai a julgamento por aumentar preços de e-books

Apple vai a julgamento por aumentar preços de e-booksNesta semana nos Estados Unidos da América a empresa Apple vai a julgamento por ter elevado os preços de seus e-books, a Apple é suspeita de ter feito uma conspiração em parceria com cinco editoras para o lançamento em 2010 de seu dispositivo móvel, o tablet Ipad.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos tenta comprovar neste julgamento que tem previsão de duração de três semanas inteiras, que a Apple estabeleceu de modo criminoso a política de preços elevada ao entrar para este mercado editorial.

A Amazon tornou-se a empresa dominante neste mercado, apoiada na política dos e-books em sua grande maioria custarem em torno de 9,99 dólares. As reclamações de clientes contra a empresa foram determinantes para que acontecesse este julgamento. A Amazon hoje é detentora de 60% da venda de livros eletrônicos.

Contudo a Apple ainda será a única empresa a ser julgada. Este processo teve inicio em abril do ano passado em Nova York, em sua Corte Distrital. As editoras que estão envolvidas nesta possível conspiração são a Hachette Book Group, a Penguin da Pearson, a Simon & Schuster e a HarperCollins da News Corp. Todas elas procuraram a justiça previamente ao julgamento e realizaram acordos para a solução deste caso. A Macmillan fez o acordo no mês de fevereiro.

A previsão para este caso é que a Apple aponte que esta ação ajudou a este setor a movimentar seu mercado, anteriormente dominado apenas pela Amazon, além de estimular os consumidores com esta competição no mercado.

A posição da Apple

Para Timothy Cook, que é o diretor-executivo da Apple este caso sobre os livros eletrônicos “é bizarro”, pois eles não fizeram nada que possa ser considerado criminoso ou errado, na verdade tomaram posição baseadas em princípios. Ele acrescenta que eles não vão assinar a autoria de algo que a Apple não fez. Ele afirmou que vão lutar neste processo.