Publicado em: terça-feira, 04/06/2013

Apple exclui aplicativo de cura gay

Apple exclui aplicativo de cura gayA AppStore, a loja virtual para aplicativos da plataforma iOs retirou de suas prateleiras o aplicativo Setting Captives Free, que continha um mini curso com o objetivo de curar gays. De acordo com a entidade que criou o aplicativo, o aplicativo continha cursos de cunho interativo sobre princípios da bíblia e da liberdade em Cristo.

O aplicativo Setting Captives Free conta com mais de 35 tipos de cursos e têm versões em dez línguas diferentes, o português não é uma delas. Um dos cursos, que está no capitulo Captives, promete aos usuários libertar-se da escravidão de ser homossexual para os Estados Unidos.

Entre as opções de cura estão à necessidade de abandonar vícios em pornografia, acabar com maus hábitos alimentares, deixar de usar drogas e também de beber, e, focar total atenção em Cristo. De acordo com dados da empresa que distribuiu este aplicativo, o beneficio da cura já contemplou mais de 416 mil pessoas.

Não mais acessível para rodar em iPhones e iPads, este aplicativo ainda pode ser acessado no sistema da Google Play, também uma loja de aplicativos, da Google e que possui mecanismos de buscas, além de os cursos do Setting Captive Free estar disponíveis como um plug-in do navegador, também da Google, o popular Google Chrome.

O aplicativo Setting Captives Free alcançou até a data de hoje, mais de 60 mil assinaturas em uma petição pertencente a uma mobilização on line contra este processo de cura gay, que coloca a homossexualidade como uma doença. Esta petição solicita que as lojas de aplicativos não apoiem o Setting Captive Free, retire dele o espaço ao não permitir este aplicativo de suas prateleiras.

O objetivo da petição que começou a circular no dia 29 de maio é alcançar 75 mil subscrições. A petição está hospedada no portal All Out e em sua descrição está escrito que este tipo de ação denominada como tratamento podem provocar terríveis danos psicológicos bissexuais, gays, lésbicas e transexuais.