Publicado em: quarta-feira, 17/08/2011

Apple enfrenta processo coletivo de 26 mil usuários sul-coreanos por invasão de privacidade no iPhone

Mais de 26 mil usuários da Coreia do Sul do iPhone, desenvolvido pela Apple, deram início a um processo judicial contra a empresa nesta quarta-feira (17). De acordo com o advogado Kim Hyung-Suk, que conseguiu R$1.500 em indenização no mês de junho por conta de uma reclamação sobre violação de privacidade em decorrência do aparelho, uma ação coletiva começou a ser preparada para exigir a mesma quantia para outras pessoas que identificaram o mesmo problema.

A falha identificada foi no dispositivo de localização do iPhone. Ao receber as primeiras reclamações, a Apple produziu uma atualização do programa para corrigir o problema. Enquanto esse recurso não estava disponível, o dispositivo guardava as informações sobre a localização de cada usuário, as quais ficavam armazenadas pelo período de um ano. Com isso, os clientes entenderam que os dados sobre as suas localizações ferem o direito à privacidade. Além disso, legisladores norte-americanos defendem que tais informações podem ter sido usadas para desenvolver campanhas de marketing.

Segundo Hyung-Suk, “apresentamos a demanda exigindo uma indenização à filial sul-coreana da Apple pelo dano emocional causado pelo sistema de rastreamento e localização do iPhone da Apple.” Além disso, foram formados dois grupos distintos, um pelos usuários do iPhone e outro pelos do iPad, para entrarem com os processos.

Outra acusação contra a desenvolvedora do iPhone diz respeito ao compartilhamento de informações pessoais dos usuários com anunciantes da empresa sem existir o devido consentimento por parte dos clientes. Ao mesmo tempo, a Apple declarou que não existe abuso na utilização das informações.