Publicado em: terça-feira, 11/06/2013

App ajuda venezuelano a encontrar produtos

App ajuda venezuelano a encontrar produtosA crise de escassez em produtos na Venezuela acontece com aqueles mais básicos, como farinha, açúcar e até papel higiênico. Jose Augusto Montiel, um jovem estudante de engenharia química de 21 anos e morador de Maracaíbo, cidade deste país, perdeu a paciência de ver seus pais perdidos, indo a mercados a todo o momento em busca de abastecer a casa de produtos mais simples possíveis.

Cansou de ter que abrir mão de hábitos como o seu café com leite em seu café da manhã e criou “Abastéceme”. Uma rede social onde seus usuários interagem trocando informações de onde estão disponíveis produtos desejados pelos consumidores.

Para Jose, possivelmente a rede não poderá solucionar este terrível problema de abastecimento em seu país, mas esta ferramenta facilita o encontro de produtos necessários para seus usuários.

O rapaz criou uma versão de aplicativo para rodar na plataforma Android e foi promovido no país via propaganda boca a boca, mesmo assim, alcançou quatro mil downloads de usuários ativos.

Jose quer expandir seu negócio para a plataforma iOs dos iPhones, porém aponta que nãp possui recursos necessários para adquirir um computador Mac, da mesma empresa da plataforma, a Apple. Porém, ele diz que quando sua situação melhorar, o Mac será uma de suas aquisições futuras.

Por enquanto, a grande maioria das pessoas que usam esta rede social está em Caracas, a capital da Venezuela.

O papel higiênico é o produto mais desejado por todos, antes mesmo da farinha.

De quem é a culpa?

O governo de Nicolás Maduro, o presidente do país afirma que os empresários em parceria com a oposição ao governo se ajustaram para desestabilizar Maduro, ocultando os bens mais básicos e essenciais. Como solução, o governo de Maduro anunciou que fará a importação destes produtos básicos.

A oposição, mais precisamente os economistas, acusa o controle do câmbio, que cuida do Bolívar, que é a moeda do país, eles afiram que o dinheiro está sobrevalorizado e assim provoca o desaparecimento de dólares para importadores.