Publicado em: segunda-feira, 03/10/2011

Apotheker deixa HP com indenização de U$ 10 milhões

O ex-diretor executivo da empresa Hewlett-Packard (HP), Leo Apotheker, vai deixar o seu cargo com U$ 10 milhões referentes à indenização e bônus, além de manter 156 mil ações. Apotheker comandou a HP por 11 meses, período ao longo do qual as ações da empresa desvalorizaram 45%. Outra garantia concedida ao ex-CEO é o pagamento das despesas com a sua mudança, que pode ser para a França ou para a Bélgica, e a compensação por qualquer prejuízo na venda da sua residência na Califórnia, avaliada em U$ 300 mil.

Por outro lado, a nova executiva contratada para liderar a HP, Meg Whitman, vai receber o salário simbólico de um dólar por ano, de acordo com um documento divulgado pela empresa na quinta-feira passada (27). O valor da remuneração tem como objetivo incentivar o desempenho da executiva, pois o verdadeiro pagamento será feito de acordo com o rendimento da empresa. A princípio, Whitman deve receber U$ 2,4 milhões em bônus, valor que pode subir para U$ 6, caso a empresa tenha um desempenho extraordinário.

Além disso, Whitman tem direito a 1,9 milhão de ações da HP, mas a condição para isso é que a executiva permaneça na empresa por três anos. O contrato faz com que Whitman entre para o grupo de executivos que recebem o salário simbólico, como é o caso de Larry Ellison, da Oracle, e de Steve Jobs, antes de renunciar da Apple.

Assim, a remuneração acontece com base em um sistema de metas, pois Whitman receberá os valores acordados caso consiga cumprir todas as previsões da HP. A contratação de Whitman fez a HP se tornar a maior empresa do mundo a ser controlada por uma mulher.