Publicado em: segunda-feira, 28/04/2014

Após superar teto, previsão do mercado para inflação cai para 6,5%

Após superar teto, previsão do mercado para inflação cai para 6,5%As previsões para a economia brasileira ficaram positivas e expectativa de que a inflação fique no limite do que o Banco Central espera. Até a semana passada, economistas brasileiros acreditavam que os números fossem superiores ao teto de 6,5% e fechasse 2014 a quase 7%. No entanto, o Governo Federal emitiu uma nota afirmando que houve uma pequena queda no percentual.

Segundo os dados obtidos através de uma pesquisa de mercado, a previsão é de que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2014 que até a última semana era de 6,51%, tenha sido reduzida para 6,5%.

Esta é a primeira vez que precisão recua, após um sequencia de sete elevações da previsão. Para o próximo ano, a previsão manteve-se intavel e estima-se que a inflação seja de 6%.

Atualmente a meta do Banco Central é de que a inflação seja de 4,5%, no entanto, a inflação pode oscilar entre 2,5% e 6,5%, ou seja, há uma margem de dois pontos percentuais, para mais e para menos.

Em caso de descumprimento da meta, o presidente do Banco Central deve encaminhar uma carta ao Ministro da Fazenda e justificar o porquê dos números ultrapassarem a estimativa, explicando as razões por não ter sido da forma como o governo esperava.

Em janeiro a inflação aumentou, tendo como a elevação do preço dos alimentos como principal agente, sobretudo em função das condições climáticas que têm afetado todo o Brasil. Secas no Sudeste e Sul, e chuvas no Centro-Oeste e Norte.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, adiantou que esta não será a primeira alta na taxa de juros e certamente haverá outra para que a inflação seja contida e não aumente. Estima-se que a taxa suba para 11,25%, e para 2015, a previsão é de que a taxa de juros suba para 12%.