Publicado em: quinta-feira, 13/03/2014

Após Snowden, segurança se torna prioridade em dispositivos

Após Snowden, segurança se torna prioridade em dispositivosO vazamento de informações sobre espionagem promovido pelo ex-agente Edward Snowden, da NSA (Agência de Segurança dos Estados Unidos), fez com que a segurança se tornasse uma prioridade em novos dispositivos móveis. Esta tendência ficou clara logo na abertura da CeBIT, maior feira do mundo sobre computação, que acontece desde esta segunda-feira (10) em Hannover, na Alemanha. Empresas como Vodafone e Dutsche Telekom apresentaram soluções que podem aumentar a segurança dos usuários.

Segurança

A própria Angela Merkel, chanceler da Alemanha, se disse surpresa com os dispositivos que podem aumentar a segurança. A chanceler descobriu, em 2013, que ela própria chegou a ser espionada pelo governo dos Estados Unidos. A comunicação governamental na Alemanha é fornecida pela empresa Secusmart. Contudo, o sistema de proteção apresentado pela empresa na CeBIT é considerado caro demais para os usuários comuns.

Ao todo, mais de 500 empresas do universo da computação apresentarão soluções de segurança na CeBIT deste ano. Em 2014, o Reino Unido é o país convidado do evento. David Cameron, primeiro-ministro britânico, esteve presente na abertura da feira. Curiosamente o GCHQ, centro de escutas britânico, participou da espionagem feita pela NSA à chanceler alemã.

Novidades

Além da Secusmart, outras empresas já apresentaram novidades no evento. A Deutsche Telekom, por exemplo, anunciou o smartphone Simko 3, que possui uma tecnologia antigrampo. A Vodafone, por sua vez, apresentou um sistema de segurança para comunicações por voz, oferecido através de um aplicativo que tem mensalidade de 12 euros.

O sistema apresentado pela Vodafone foi criado em parceria com a Secusmart e, de acordo com as empresas, é capaz de oferecer aos usuários um nível de segurança similar àquele dos smartphones utilizados nas comunicações governamentais.

De acordo com Neelie Kroes, uma das organizadoras do evento, Edward Snowden deu um alerta para o mundo que não pode ser esquecido. Kroes informou que, ainda em 2014, deve entrar em votação um projeto de lei relacionado à segurança em tecnologia da informação na Europa. O grande desafio para os países europeus é manter a segurança das comunicações sem fechar as portas para a inovação.

Sistemas operacionais

Para o usuário comum, um dos maiores problemas é a vulnerabilidade dos sistemas operacionais utilizados atualmente em smartphones. De acordo com especialistas, tanto o Android como o Apple iOS são sistemas extremamente vulneráveis a ataques, o que faz deles uma opção pouco vantajosa quando o assunto é a troca de informações estratégicas ou confidenciais. Por isso, muitas das soluções de segurança apresentadas na CeBIT funcionam apenas com os modelos lançados na própria feira, que têm sistemas operacionais próprios.

Empresas emergentes

Embora a segurança seja o grande tema da CeBIT deste ano, a feira também tem dado bastante espaço para o apoio a empresas de tecnologia emergentes. Ao todo, 300 delas se apresentam no evento. Além das 500 empresas que trarão novidades sobre segurança e das 300 emergentes, mais de duas mil outras empresas estarão na CeBIT deste ano, que vai até o dia 14 de março.