Publicado em: quinta-feira, 03/07/2014

Após polêmica sobre estudo de emoções Facebook será investigado por autoridades britânicas

Após polêmica sobre estudo de emoções Facebook será investigado por autoridades britânicasCom a publicação de um estudo que foi realizado no Facebook, onde o objetivo seria observar as emoções que os usuários teriam conforme o tipo de conteúdo publicado por seus amigos na rede social, agora as autoridades Britânicas estão investigando se as leis de proteção de dados dos usuários foram violadas.

O estudo teve a manipulação do feed de notícias do Facebook de um número pouco menor do que 700 mil usuários, o Escritório do Comissário de informações quer saber da rede social sobre como o estudo foi procedido, o Escritório tem como responsabilidade garantir que a privacidade das informações de pessoas que residem no país sejam respeitadas.

O Facebook garante que as informações dos usuários foram respeitadas e que a proteção desses dados foram feitas de maneira apropriada, segundo o diretor do Facebook na Europa, Richard Allen, a rede social está preparada para responder todos os questionamentos que os reguladores possam vir a apresentar a respeito do estudo.

Segundo informações dos jornais The Register e também Financial Times, o Escritório do Comissário de informações declarou que iria entrar em contato com o órgão responsável pela proteção de dados a respeito do estudo.

O estudo que foi realizado em parceria com duas Universidades a de Cornell e também a da Califórnia foi realizado no ano de 2012 e teve como duração apenas uma semana e teve como número total de 689 mil usuários observados com perfil ativo na rede social.

Segundo o Facebook com a realização da pesquisa não houve quaisquer coletas de dados pessoais que não fossem necessários dos usuários, de acordo com a rede social os resultados do estudo não foram reflexos de uma conta específica. De acordo com Richard Allen a rede social assumiu as responsabilidades pelo descontentamento que houve por parte dos usuários da rede social, Richard declarou também que o Facebook está buscando melhorar seus processos tendo como base as opiniões expressadas pelos usuários da rede social.