Publicado em: segunda-feira, 10/02/2014

Após derrota, Muricy critica Ganso

Após derrota, Muricy critica GansoO São Paulo vive uma situação curiosa no Campeonato Paulista de 2014: a equipe é a melhor mandante da competição, com 100% de aproveitamento em quatro jogos. Mas, quando joga fora de casa, o tricolor paulista tem desempenho de rebaixamento. Até o momento, foram três jogos como visitante e nenhum ponto conquistado. Além do São Paulo, apenas o Paulista de Jundiaí detém esta marca.

Uma destas derrotas veio neste domingo, 9 de fevereiro, contra a Ponte Preta. No Moisés Lucarelli, o São Paulo se mostrou pouco eficiente no ataque, finalizando pouco a gol. E, para Muricy Ramalho, um dos principais culpados por isto foi o meia Paulo Henrique Ganso, que recentemente herdou a camisa 10 deixada por Jadson.

Irregular

Desde que chegou ao São Paulo, Ganso tem se mostrado um jogador irregular. Em algumas partidas, é o responsável por passes importantes e chutes perigosos. Em outras, o meia simplesmente some da partida. Contra a Ponte, Ganso quase não foi notado em campo, algo que também havia acontecido contra o Palmeiras.

Para Muricy Ramalho, há também outro problema antigo com o jogador: o baixo número de chutes a gol. Neste domingo, Ganso teve uma ótima oportunidade para chutar contra a meta de Roberto, mas preferiu o passe. Muricy, no banco de reservas, criticou duramente a atitude.

Nova postura

Assim que o jogo terminou, Muricy Ramalho já fez críticas à postura de Paulo Henrique Ganso em campo. Depois, na entrevista coletiva, voltou a mencionar a questão. De acordo com Muricy, o excesso de passes em relação a chutes é um problema antigo de Paulo Henrique Ganso. O técnico afirmou que, ainda na época em que os dois estavam no Santos, Muricy já havia recomendado a Ganso que chutasse mais a gol.

Com a saída de Jadson, Ganso se torna ainda mais responsável pela presença na área, além da articulação do jogo. Muricy Ramalho também afirmou que a camisa 10 não é apenas um número, mas um símbolo de jogadores que têm de se infiltrar na área adversária e chutar a gol.

A tendência é que Muricy Ramalho insista cada vez mais nos treinamentos para que Paulo Henrique Ganso adote uma nova postura. Além de ter moral com o treinador, Ganso não tem substitutos de peso no banco de reservas. Seu substituto imediato é Boschilia, garoto que acabou de ser promovido à equipe principal. O argentino Cañete, que chegou ao São Paulo como meia, tem sido mais utilizado no setor ofensivo, como segundo atacante.

Tabela

O São Paulo só volta a campo no próximo sábado, quando enfrenta a Portuguesa. Se mantiver a escrita, o tricolor paulista, jogando em casa, tem grandes chances de conquistar mais três pontos. Apesar da derrota, o São Paulo segue na liderança do Grupo A, com 12 pontos em sete partidas.

Contudo, é preciso ter atenção redobrada contra a Lusa. Após um início ruim no Paulistão, a equipe começa a se embalar, após duas vitórias convincentes, contra Atlético Sorocaba (3 x 1) e Linense (4 x 0).