Publicado em: quarta-feira, 19/11/2014

Após denúncias de abuso diretoria da Faculdade de Medicina da USP suspende festas no campus

Após denúncias de abuso diretoria da Faculdade de Medicina da USP suspende festas no campusApós denúncias de duas alunas da Universidade de São Paulo que teriam sido abusadas em meio a festas ocorridas na Universidade, a diretoria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo comunicou, por meio de uma nota que as festas que eram realizadas no campus sob a organização do Centro Acadêmico estão suspensas.

Esta decisão por parte da diretoria foi tomada em caráter de emergência, já que estava prevista para ocorrer nesta quarta-feira a festa intitulada de “quarta insana”, onde participariam frequentadores dos cursos de Medicina, Nutrição e também de Enfermagem, de acordo com informações passadas pela diretoria a decisão de suspender as festas foram realizadas em comum acordo para que situações, que possam ocasionar qualquer tipo de infração, fossem evitadas.

Esta decisão da diretoria está prevista para durar até a próxima quarta-feira dia 26, quando deve acontecer uma reunião com a Congregação da Faculdade de Medicina para que sejam discutidas maneiras de tornar as festas regulamentadas ou mesmo suspender as confraternizações em caráter definitivo, além disso nesta reunião também serão discutidas as denúncias de estupro em meio a festas da Universidade.

Para o evento desta quarta-feira já estava prevista a participação de 500 pessoas, porém com a decisão da diretoria da Universidade, a Associação Atlética Acadêmica cancelou a “quarta insana”, mas preferiu não manifestar opinião a respeito da decisão tomada pela direção da Universidade.

As denúncias foram feitas por duas alunas da Universidade de São Paulo, ambas declaram que sofreram estupro durante festas realizadas por alunos da instituição, uma delas que é uma estudante de 24 anos relata que com ela os abusos ocorreram por duas vezes no ano de 2011, já a outra estudante disse que os abusos com ela ocorreram durante a festa intitulada “Cervejada” que foi organizada por alunos do curso de Medicina no ano de 2013.

Segundo esta estudante ela foi abordada por dois estudantes, um cursava o 4º ano e outro do 5º ano, eles a convidaram para que fosse tomar bebida alcoólica no automóvel de um deles, assim que chegou no local, a estudante declarou que os rapazes começaram a passar a mão por todo seu corpo e que mesmo com os pedidos dela para que eles parassem com essas atitudes os dois prosseguiram com os abusos.

Uma investigação está sendo realizada pelo Ministério Público desde o mês de agosto para que essas denúncias fossem checadas, está previsto para que nesta quarta-feira uma comissão da Faculdade de Medicina da USP preste depoimento sobre oito denúncias de abuso sexual, de acordo com os promotores do caso, as vítimas relataram que a diretoria da faculdade não ofereceu apoio para que os casos fossem investigados.