Publicado em: sexta-feira, 23/08/2013

Após confusão o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decidiu suspender a CPI dos ônibus por 48 horas

CPI dos ônibusApós a confusão ocorrida ontem na primeira sessão da primeira audiência sobre a CPI dos ônibus, onde houve discordâncias e até um sapato foi jogado na direção do vereador Professor Uóston, a oposição pediu ao Tribunal de Justiça para que houvesse uma suspensão nos trabalhos da CPI, decisão esta que foi acatada pelo TJ, que decidiu paralisar as atividades referentes a esse assunto por um período de 48 horas, na confusão ocorrida na tarde de ontem 11 pessoas foi detidas e liberadas logo após prestarem depoimentos na delegacia.

A juíza que analisou o despacho, Roseli Nalin da 5ª Vara de Fazenda Pública, declarou que com todos os argumentos que foram apresentados pelos autores do pedido e também pelos fatos que já haviam sido vistos a CPI já tem o fundamento que caracteriza viciar de maneira formal e de maneira material a constituição na qual se forma e assim decidiu pela suspensão de todos os trabalhos.

Segundo a juíza informou que as autoridades competentes têm um prazo de até 48 horas para se manifestar sobre a decisão, para que esta seja definitiva, o pedido realizado por essas autoridades deve ser entregue ao gabinete do Juízo.

Para os vereadores que entraram com o pedido, a decisão de suspender os trabalhos sobre a CPI foi ótima e merece ser parabenizada, porém declaram que agora vão esperar todos os acontecimentos que surgirão após esta decisão ter sido tomada.

Em nota oficial divulgada pela sua assessoria de imprensa o vereador e presidente da CPI Chiquinho Brazão disse que lamenta a decisão que suspende os trabalhos da CPI e ressalta que a responsabilidade de entrar com recurso são da presidência da casa, que deve entrar com recurso contra a decisão já comunicada.