Publicado em: quarta-feira, 19/11/2014

Após audiência realizada nesta terça-feira defesa de Eike Batista se declarou limitada em meio a presença do público e imprensa

Após audiência realizada nesta terça-feira defesa de Eike Batista se declarou limitada em meio a presença do público e imprensaA defesa do empresário Eike Batista fez críticas ao fato de estarem presentes na audiência o público, além de profissionais da Imprensa, os advogados realizaram um pedido para que a audiência fosse realizada com portas fechadas, mas o Juiz responsável pelo caso, Flávio de Souza, não atendeu à solicitação da defesa do empresário.

O julgamento de Eike Batista teve início nesta terça-feira e foi realizado no Rio de Janeiro, teve a duração de aproximadamente duas horas e meia, o empresário responde às acusações de manipulação de mercado e também de ter se utilizado de informações de caráter privilegiado no momento em que negociou ações da petroleira OGX.

Segundo um dos advogados do empresário, Ary Bergher, a defesa de Eike se encontrava limitada e estrangulada, essas declarações foram interpretadas como um exagero pelo Juiz responsável pelo caso, Flávio de Souza, que após ter iniciado a audiência passou a informação de que haveriam cinco depoimentos de testemunhas de acusação, porém posteriormente o magistrado declarou que a audiência chegaria ao fim após o término do terceiro depoimento.

O julgamento deve ser retomado no dia 10 do próximo mês, quando devem ser ouvidas as testemunhas de defesa, já no dia 17 também do próximo mês devem ser ouvidas as testemunhas de acusação que são de São Paulo e que terão seus depoimentos tomados via videoconferência, segundo informações do Juiz Flávio Souza, Eike Batista também deve prestar depoimento, mas a data para que isto ocorra ainda não está definida.

A primeira testemunha a ser ouvida durante a audiência foi Fernando Soares Vieira da Superintendência de Relações com Empresas da Comissão de Valores Mobiliários que regula o mercado financeiro no país, em seu depoimento ele reiterou tudo o que estava descrito no termo de acusação, porém declarou que a junta da Comissão de Valores Mobiliários ainda fará análise nos termos de acusação e podem vir a desconsiderar este.

A defesa do empresário declarou que ele não obteve nenhum centavo referente ao processo que está sendo julgado e declarou ainda que Eike Batista teria de ter o dom de prever que os campos da petroleira OGX não eram economicamente viáveis, fato que foi comprovado mais a diante, a defesa declarou ainda que não poderia realizar mais perguntas para Fernando Soares Vieira, porque precisaria revelar dados fiscais e também de documentos bancários do empresário, algo que não poderia ser feito na presença da imprensa e da plateia, por se tratarem de dados confidenciais.

O segundo depoimento foi de José Aurélio Valporto, que é economista, ele se auto intitulou especialista no mercado de capitais, a defesa do empresário fez questionamentos que levaram José Aurélio a afirmar que era acionista minoritário da OGX e também fazer parte do Conselho de acionistas minoritários, além disso o economista afirmou que denunciou Eike Batista para o Ministério Público Federal.

Após essas declarações a defesa de Eike Batista solicitou para que José Aurélio fosse ouvido como informante, que é uma testemunha que não precisa se comprometer em dizer somente a verdade, pelo fato de este ter interesse no processo, já que José Aurélio poderia ser parcial em suas declarações já que este é também uma vítima.

Com esse pedido feito pela defesa do empresário, o procurador se manifestou contrário à solicitação e justificou dizendo que se fosse assim uma pessoa que sofreu estupro não poderia prestar depoimento contra o estuprador, neste momento uma discussão foi protagonizada por defesa e acusação e o procurador declarou que crimes de colarinho branco são como crimes comuns, no entanto, o Juiz acatou o pedido da defesa de Eike Batista e José Aurélio passou a ser ouvido como informante no processo.

O terceiro depoimento foi de Mauro Coutinho Fernandes que é ex engenheiro da petroleira OGX, o depoimento de Mauro teve a duração de apenas dez minutos, segundo informações da Assessoria da Justiça Federal, o depoimento de Mauro foi o último a ser tomado na audiência de hoje.