Publicado em: sexta-feira, 23/08/2013

Após análise de novas imagens, polícia procura saber qual objeto Marcelinho Pesseghini portava em seu bolso após sair da escola

Após análise de novas imagens, polícia procura saber qual objeto Marcelinho Pesseghini portava em seu bolso após sair da escolaNum crime que chocou o Brasil, que ocorreu na residência de dois policiais, onde cinco pessoas da mesma família foram encontradas mortas, novas imagens que dão força a tese da polícia de que Marcelo Bovo Pesseghini de 13 anos foi o autor do crime estão sendo analisadas.

Nestas novas imagens é possível ver Marcelinho saindo de capuz com mais dois colegas de escola e se encaminhando ao carro de sua mãe que foi levado por ele horas antes e deixado a cerca de 20 metros onde estudava, Marcelinho vai ao carro com os amigos, estes vão embora minutos depois, Marcelinho volta e passa novamente pelas câmeras de segurança, porém um fato chamou a atenção da polícia nestas imagens, o fato de o menino parecer estar arrumando algo dentro de sua calça, Marcelinho que era canhoto parecia estar segurando algo que estava no lado esquerdo de sua calça, segundo a polícia ele poderia estar nesse momento portando a arma do crime.

As imagens estão sendo cuidadosamente analisadas e o resultado de todos os laudos feitos pela polícia na família devem chegar em poucos dias, porém o menino continua como sendo principal suspeito do crime, já que em depoimento de amigos de Marcelinho, eles contaram que o garoto tinha o desejo de matar seus pais enquanto eles estivessem dormindo, alguns amigos relataram ainda que o menino dizia que sabia atirar com pistola ponto 40, justamente a que foi utilizada no dia do crime e que era de posse da mãe de Marcelinho, ele contava aos amigos que era levado pelo pai que era Sargento da Rota, para atirar, um outro amigo de Marcelinho disse que o menino confessou para ele, via telefone, que havia matado seus pais e que também desejava matar a diretora da escola onde estudavam.

A polícia já tem a informação confirmada de que existia mesmo um grupo de jogo criado por Marcelinho com o nome de Os mercenários, onde estes se reuniam para jogar Assassins Creed, um jogo no qual o ponto principal é a violência utilizada, porém para não prejudicar as investigações do caso, e devido a repercussão que este ganhou em todo o país, a polícia se mantém em silêncio e não passa mais informações sobre o rumo das investigações sobre esse caso.

Foram assassinados na casa onde moravam, nas proximidades de brasilândia, o casal Marcelo Pesseghini que era sargento da Rota, a cabo Andréia, além da mãe e também a tia de Andréia que viviam em uma casa anexa à residência deles, e o filho do casal Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, que atualmente é visto como principal suspeito de ter cometido esse crime que chocou o país.