Publicado em: sexta-feira, 30/08/2013

Após 55 horas de trabalho sem interrupções bombeiros resgatam o corpo de última vítima do desabamento em São Paulo

Após 55 horas de trabalho sem interrupções bombeiros resgatam o corpo de última vítima do desabamento em São PauloO corpo de bombeiros passou 55 horas trabalhando sem interrupções no desabamento de uma construção que ocorreu nesta terça-feira na zona leste de São Paulo, para que todas as vítimas fossem retiradas da construção, nesta sexta-feira os trabalhos foram encerrados quando o corpo da última vítima que estava desaparecida foi encontrado, agora os trabalhos irão ficar por conta das investigações dobre as causas do acidente que matou 10 trabalhadores e deixou 26 outros feridos.

O caso está sendo investigado, já que a obra era irregular, documentos dão conta de que os proprietários do terreno e da loja que seria construída ali foram alertados de que o terreno não agüentaria o tipo de construção que havia ali, na época da vistoria que resultou nesse aviso, a construção só possuía um andar e mesmo assim o porte da obra foi considerado alto para o tipo de terreno que estava sendo utilizado, porém mesmo assim a obra prosseguiu, quando questionados sobre a continuação das obras pelos órgãos públicos, os responsáveis disseram que sabiam que a obra era irregular, mas que ela prosseguia ativa porque teria sido feito um “acerto” junto a prefeitura para que esta obra pudesse prosseguir.

Os responsáveis pelas obras declaram que essas informações não são de seu conhecimento e que já tinham falado para que a obra fosse parada, após saberem do parecer da prefeitura sobre a irregularidade da construção, o que a polícia deseja saber agora é porque a construção continuava ativa, sendo que os donos disseram que a construção teria que ser parada para acerto de possíveis irregularidades, sendo assim, espera ouvir o depoimento dos trabalhadores para que possam entender qual era a real situação em que a obra estava sendo feita, segundo informações essa construção já possuía dois andares em sua estrutura, o que surpreende, já que quando foi notificada a obra tinha apenas um andar e já havia a suspeita de que o terreno não suportaria, mesmo assim a construção prosseguiu e ainda foi construído mais um andar no local.

Os bombeiros que atuaram no caso saíram com o corpo da última vítima sob aplausos da população, que acompanhou os trabalhos incansáveis desses profissionais que durante quase três dias revezaram suas equipes com a finalidade de não interromper os trabalhos até que todas as vítimas fossem localizadas.