Publicado em: terça-feira, 04/02/2014

Aplicativos de táxi começam a preocupar cooperativas

Aplicativos de táxi começam a preocupar cooperativasOs aplicativos para chamar táxis pelo smartphone estão vivendo um momento de crescimento incrível no país. De acordo com os desenvolvedores, em alguns casos os aplicativos chegam a crescer até 100% em um único mês. Apesar de serem mais uma ferramenta para facilitar a vida de seus usuários, estes aplicativos começam a preocupar as chamadas cooperativas de táxis. Isso porque, com os aplicativos, os usuários podem entrar em contato direto com os taxistas, eliminando a necessidade de um intermediário.

Regulamentação

Algumas empresas que organizam os táxis em grandes cidades, onde os aplicativos são mais populares, já começaram a pedir às prefeituras que busquem algum tipo de regulamentação para esta nova realidade. O grande problema, segundo as cooperativas de taxistas, é que os motoristas acabam deixando de atender às corridas que vêm das cooperativas, caso haja alguma chamada mais próxima vinda do aplicativo.

Os aplicativos trazem muitas vantagens para todos os envolvidos. Por se utilizarem de sistemas de geolocalização, estes programas oferecem aos usuários opções de taxistas que estão mais próximos, o que diminui consideravelmente o tempo de espera. Para os taxistas, há um desconto muito menor no valor total da corrida, quando comparado com aquele praticado pelas cooperativas. Por fim, os próprios desenvolvedores dos softwares também são estimulados a promover ainda mais melhorias. A renda para os desenvolvedores vem de um pequeno valor de assinatura cobrado de taxistas e passageiros, muitas vezes no valor de R$1.

Faturamento

As cooperativas afirmam que os taxistas estão deixando de fazer corridas, ou atrasando-as, para priorizar apenas os usuários de aplicativos. De acordo com os taxistas, entretanto, os aplicativos só são utilizados quando não há nenhuma chamada registrada pela cooperativa.

O taxista Carlos Henrique, que trabalha há cinco anos na capital paulista, é um dos que afirmam que os aplicativos só são utilizados quando não há outra chamada. Carlos utiliza vários aplicativos de táxi e, assim que inicia uma corrida, altera seu status em todos eles, para mostrar que está ocupado. Segundo o taxista, desde que os aplicativos começaram a ser utilizados, seu faturamento mensal cresceu 25%.

Aplicativos

Atualmente, existem cerca de dez aplicativos de táxis funcionando no país. Contudo, alguns deles funcionam somente em regiões específicas. Dois deles, 99 Taxis e Easy Taxi, já estiveram na lista de aplicativos mais baixados na Google Play. A partir da geolocalização, os aplicativos permitem que, assim que um consumidor busque táxis, apareçam somente os resultados que estão geograficamente mais próximos.

Desta forma, o tempo de espera pelo táxi dificilmente supera dez minutos. Se levarmos em conta que estes números dizem respeito a grandes cidades, a redução do tempo de espera é considerável. Para tentar frear o crescimento deste “mercado paralelo”, algumas cooperativas estão começando a adotar o sistema de aplicativos. Outros órgãos, como a Abracomtaxi (Associação Brasileira de Cooperativas e Associações de Táxis), sugerem que a concorrência promovida pelos aplicativos é desleal. A Abracomtaxi é um dos órgãos que mais lutam pela maior regulamentação em relação aos aplicativos disponíveis no país.