Publicado em: terça-feira, 25/02/2014

Apenas 300 milésimos de segundos é necessário para que cérebro humano gere uma lembrança

Com 300 milésimos de segundos o cérebro humano gera uma lembrançaUm recente descoberta de cientistas argentinos, publicada na revista “Current Biology”, afirma que com apenas 300 milésimos de segundos nosso cérebro consegue gerar uma lembrança, este é o tempo que os chamados “neurônios de conceito” precisam para ligar uma imagem a outra. De acordo com Quian Quiroga, diretor do Centro de Neurociência Sistemática da Universidade de Leicester, na Grã-Bretanha, a memória leva em conta uma série de conceitos, é assim que ela associa uma coisa à outra, como quando alguém vai ao cinema e diz que se lembra de ter encontrado um amigo no cinema, o cérebro só irá associar a palavra ‘amigo’ e ‘cinema’. Ele conta também que, há um tempo foi demonstrado que os neurônios do cérebro são responsáveis por codificar conceitos, assim, esse o cérebro usa para montar a memória e logo após existe um tempo que ela dispara isso. Ainda explica que, um estimulo sensorial é ativado, ao ver uma pessoa, ele chega a 300 milésimos de segundos, depois disso o neurônio dispara o impulso, e esse tempo em que ele associa as coisas e ativa a nossa memória. Esta descoberta é considerada um fenômeno, porque não é como os outros processos que acontecem no cérebro humano, é diferente de se decidir sobre algo ou prestar atenção em algo emocionante, estes envolvem outros tipos de neurônios e essas sensações são causadas em tempos diferentes.

Lugar das lembranças

Os estudiosos estão em busca de uma resposta em relação a isso no cérebro de pacientes que sofrem de epilepsia, eles são avaliados de forma diferente, com eletrodos em diversas áreas do cérebro, que captam as atividades dos neurônios. Segundo a cientista, não existe um ‘baú de lembranças’ em nosso cérebro, a memória está distribuída em diversas partes dele, mas existe uma área em que ela se constrói, é chamada de hibocampo. Ela completa dizendo que, sem essa área especifica, somos incapazes de gerar novas memórias, já há muitas evidencias disso na neurociência, mas eles se baseiam em um fato real de um paciente que não tinha o hibocampo, e devido a isso não tinha novas lembranças.