Publicado em: sábado, 29/10/2011

Ao menos 30 manifestantes morrem em protesto contra governo da Síria

Uma manifestação realizada nesta sexta-feira (28) na Síria terminou com ao menos 30 manifestantes mortos pelas forças de segurança do governo. O protesto foi realizado para pedir por uma zona de exclusão aérea na Síria, o que permitiria a atuação da Otan, por exemplo, nos conflitos. A maior parte dos mortos estava localizada nas regiões de Homs e Hama. A população da Síria vem protestando para tirar Bashar al-Assad do poder.

De acordo com as informações prestadas por ativistas, entre os mortos estavam um homem de 80 anos e um menino. Ao mesmo tempo, a TV estatal transmitiu que “gangues armadas” teriam invadido a delegacia local e atirado contra o homem e o garoto. Além disso, a televisão vinculada à al-Assad informou que as forças de segurança desarmaram os ativistas. A agência de notícias Associated Press noticiou que a maior parte das mortes aconteceu depois dos protestos, quando as forças de segurança perseguiram os manifestantes.

O último levantamento da ONU mostra que foram ao menos 3 mil mortos desde o início dos protestos em março. O pedido pela zona de exclusão aérea fica mais forte depois da confirmação da morte de Muamar Kadafi, ex-ditador líbio, que foi encontrado após um bombardeio da Otan.

Por isso, os ativistas da Síria pedem que a Otan também inicie uma missão no país para proteger os civis. A confirmação das informações na Síria vem sendo difícil pelo bloqueio a jornalistas. As fontes são normalmente ativistas, manifestantes e informações publicadas na internet em redes sociais.