Publicado em: segunda-feira, 13/01/2014

Anvisa proíbe venda de tinta de tatuagem da marca Supreme

Anvisa proíbe venda de tinta de tatuagem da marca SupremeA Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou a suspensão da fabricação, distribuição , venda , inutilização e do uso da tinta para tatuagem da marca Supreme. A marca é fabricada pela empresa Tseva Industria e Comércio de Tintas Artísticas Ltda. O produto está sendo considerado clandestino porque não tem o registro na Anvisa. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União na sexta feira (10).

A nota da Anvisa diz que a tinta foi proibida porque não passou por análise da Anvisa, por isso não tem nenhuma garantia se tem ou não produtos tóxicos ou carcinogênicos nos componentes dos pigmentos da marca em questão. A legislação exige que os equipamentos de tintas usadas em tatuagens tenha o registro na Anvisa. A meta é garantir uma maior segurança a quem compra para evitar o uso de substância nocivas. Existe uma resolução que classifica a tatuagem como pigmentação artificial permanente na pele.

No ano passado o Ministério Público de São Paulo já tinha apresentado uma denúncia à justiça contra os proprietários da Tseva. Eles alegavam que a tinta para tatuagens Supreme era considerada “altamente tóxica por conter metais pesados em sua composição”.

O laudo do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) apresentou um laudo que mostrou a presença de metais altamente tóxicos, como mercúrio, cádmio, titânio, chumbo, nióbio, entre vários outros. Cada vez que esses elementos penetram na pele podem entrar na corrente sanguínea e serem absorvidos com o passar do tempo causando acúmulo no cérebro.

De acordo com o Ministério Público, a pessoa que é contaminada correrá o risco de desenvolver problemas sérios de saúde como problemas de memória, coordenação, raciocínio, doenças degenerativas e até psicoses. Nas gestantes, os metais pesados podem ser transmitidos para o feto. Os sócios da empresa já foram denunciados e a pena prevista é de 10 a 15 anos de reclusão e multa.