Publicado em: quarta-feira, 14/03/2012

Anvisa proíbe cigarros com sabor e indústrias têm um ano e meio para se adaptar

Depois da pressão de fabricantes e dos órgãos de saúde, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu pela proibição de substâncias aromáticas nos cigarros. A decisão foi anunciada depois que os quatro diretores optaram pela não adição do produto. O prazo estabelecido para retirar os cigarros aromáticos das prateleiras é de um ano e meio. O uso de açúcar ficou permitido, pois era uma questão de impasse entre os diretores da entidade.

A reunião, que teve a duração de mais de três horas, suspendeu a produção de cigarro com sabor em todo o país, pois se acredita que o uso dessas substâncias pode influenciar o indivíduo a fumar. Trata-se, por exemplo, dos cigarros de menta, de morango e de chocolate. Os diretores inclusive já estabeleceram o prazo de um ano e meio para a retirada do produto dos estabelecimentos comerciais para evitar perda para as empresas produtoras. Os fabricantes alegavam que a decisão imediata poderia quebrar as indústrias.

Embora tenha sido proibido o uso de sabores, poderá ser adicionado açúcar ao tabaco. No entanto, ficou decidido que a quantidade será exatamente aquela perdida durante o processo de secagem da folha. Essa decisão foi influenciada pelos fabricantes que alegaram que o tabaco mais consumido no Brasil perde o açúcar que possui durante a produção e, para não ficar tão amargo, é necessário adicionar a substância. Essa decisão fica estabelecida para todos os cigarros vendidos no país, importando ou nacionais.

Outras substâncias continuam permitidas

A decisão tratava apenas dos aromatizantes e do açúcar. As demais substâncias, como o adesivo, corante, pigmento e aglutinante estão permitidos normalmente. Também pode ser usado glicerol e propilenoglicol e sorbato de potássio. Embora esses materiais sejam autorizados pela Anvisa, entidade decidiu que novos ingredientes precisarão antes passar por decisão dos diretores para depois serem usados no processo produtivo.