Publicado em: quarta-feira, 08/08/2012

Anvisa prioriza trabalho em portos e aeroportos de cinco estados com a greve

Anvisa prioriza trabalho em portos e aeroportos de cinco estados com a greveCom a greve dos funcionários públicos federais, grande parte dos servidores da Anvisa não estão trabalhando. No entanto, depois que o governo e os ministérios pediram que o trabalho básico não deixasse de ser feito em casos emergenciais, a Anvisa passou a distribuir alguns funcionários para o trabalho em alguns setores. Dentre os portos e aeroportos, os que estão tendo prioridade no atendimento são dos estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco e também do Espírito Santo. Nesses locais as importações estão passando normalmente pela fiscalização da Vigilância Sanitária. Segundo Dirceu Barbano, diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), esses locais estão com cargas armazenadas há muito tempo em função da extensão da greve que foi deflagrada no dia 16 de julho.

Parceria com os estados pode diminuir problemas nos portos e aeroportos

Ontem o órgão publicou uma resolução que prevê licenciamento antecipado para os casos em que não há espaço para armazenamento das cargas nos portos. A resolução também está valendo para os casos em que o pedido não foi analisado em até cinco dias úteis do dia em que o importador fez o pedido ao órgão. Em entrevista, Barbano explicou que essa resolução é uma estratégia para diminuir o impacto da paralisação. Além disso, a Anvisa tem tentado negociar e fazer convenio com funcionários dos estados. O diretor-presidente ressaltou que em oito estados do país já foram feitas parcerias para que os técnicos de outros setores auxiliem no processo de inspeção das mercadorias. Segundo ele o órgão tem a preocupação de adotar medidas para evitar que haja fragilidade sanitária, pois a greve não pode afetar a qualidade dos serviços sanitários existentes no país.