Publicado em: quarta-feira, 07/12/2011

Anvisa pretende realizar mais restrições a propaganda de cigarros

Nesta terça-feira, dia 6 de dezembro, em audiências públicas desenvolvidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), associações antifumo e médicos presentes se disseram a favor dos projetos que proíbem a exposição e propaganda de cigarros em locais onde haja a venda e também outras medidas indicadas pela Anvisa para reduzir o estímulo ao uso do cigarro.

A Avisa também defende a proibição de toda propaganda e de pesquisas de mercado. Apenas é a favor de incluir nos pontos de venda mais advertências nas propagandas sobre os malefícios que o tabaco pode causar a quem o utiliza. Outra proposta é proibir que sabores sejam colocados nos cigarros. A agência acredita que com a adição de sabor mentolado ou doce, incentiva que jovens façam uso do tabaco.

Entre os presentes que defendem as propostas discutidas nas audiências, estavam os representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM), do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Porém, os produtores de fumo, localizados no sul do Brasil, discutem sobre a autoridade da agência e afirmam que não há como provar, cientificamente, que as propagandas estejam relacionadas ao consumo.

Em sua defesa, os produtores dizem que todas as proibições irão prejudicar as famílias que vivem deste tipo de cultivo. Para Agenor Álvares, diretor da Anvisa, o governo deve tomar providências para o destino destes trabalhadores. O diretor afirma que já que o governo incentivou que eles plantassem, agora o próprio governo deve procurar uma solução.