Publicado em: quarta-feira, 21/03/2012

Anvisa interrompe importação de próteses de silicone

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) declarou nesta terça-feira (20) que está suspendendo a importação de próteses mamária pelo menos até que as normas de avaliação de qualidade sejam registradas pelo Inmetro. A decisão já é válida a partir desta quinta-feira (22).

O órgão decidiu que a venda dessas próteses será feita somente após os fabricantes conquistarem o selo de qualidade, que deve avaliar se a composição e a resistência da prótese de silicone estão adequadas às normas exigidas. Os silicones terão que ser analisados através de microscópios para investigar se eles possuem algum metal pesado, como cádmio, mercúrio ou chumbo, que são prejudiciais ä saúde. O grau de avaliação é semelhante ao que é realizado na analise de preservativos importados.

Além disso, agência decidiu ainda que os médicos deverão informar aos pacientes todos os riscos que o implante dessas próteses de silicone podem causar, além de dar informações a respeito da vida útil do produto.

Já na sexta-feira (9), a Anvisa havia dito através Diário Oficial da União, que estava suspensa a importação, distribuição e comercialização de próteses de silicone das marcas PIP e Rofil, valendo para todo o Brasil. O motivo é que essas empresas alteraram os seus implantes. Os itens produzidos pela PIP possuem taxas de ruptura em nível acima do permitido por lei. Em 2010, começaram as primeiras queixas a respeito e com isso a empresa chegou ä falência. Durante um depoimento, o criador da empresa assumiu ter utilizado silicone adulterado e sem ser testado e argumentou que isso era mais barato e com um melhor resultado. Já no início deste ano, a marca holandesa Rófil foi quem sofreu denúncias e também teve seu registro cancelado.