Publicado em: quinta-feira, 24/01/2013

Anvisa criará grupo para que venda de remédios sem receita seja evitada

Anvisa criará grupo para que venda de remédios sem receita seja evitadaA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) irá criar um grupo para que discuta e proponha medidas para estimular o uso racional de remédios no país e inibir que medicamentos com tarja vermelha sejam vendidos sem ter receita, o que é disseminado em todo o Brasil.

A Anvisa publicou um edital de chamamento público durante a última semana, nele os órgãos e instituições que tivessem interesse em fazer parte do grupo se manifestem. As inscrições podem ser feitas no site da Anvisa até o dia 15 de fevereiro.

Dirceu Barbano, diretor-presidente da agência disse que até agora chegaram 47 manifestações de entidades que tinham interesse em participar. Conforme Barbano, a portaria com a constituição do grupo deverá ter sua publicação revelada entre os dias 18 e 22 do mês que vem.

Após estar constituído, o grupo vai ter até o final do ano para que trace o cenário das vendas de remédios sem receita atualmente e apresente propostas para que este problema seja resolvido. Durante o segundo momento, uma força de trabalho acompanhará as medidas que o grupo estabeleceu, o que deverá acontecer em 2014.

Barbano diz que no Brasil existe a cultura de pensar que a receita é coisa burocrática, e diz que isto deve ser mudado. Ele classifica a receita como a melhor decisão que o profissional de saúde tem para que o problema seja tratado.

Conforme ele, a receita é exigida para que seja evitada a automedicação e a utilização indevida de medicamentos, fora que seja garantido ao paciente passar por uma etapa de diagnóstico.

Os remédios com a tarja vermelha significam de 65% dos produtos do mercado atual de medicamentos, estão neles os anti-inflamatórios, os hormônios, contraceptivos, os remédios gastrointestinais e os de controle da hipertensão.