Publicado em: terça-feira, 15/07/2014

Antirretrovirais passa a ser recomendado para gays como forma de prevenir o HIV

Antirretrovirais passa a ser recomendado para gays como forma de prevenir o HIVPela primeira vez a Organização Mundial de Saúde (OMS) passou a recomendar que homens gays ativos façam uso de medicamentos antirretrovirais, além de usar preservativos afim de evitar contaminação pelo HIV. A organização chama o medicamento indicado de “medicamento de profilaxia pré-exposição” ele é responsável por reduzir a incidência do vírus entre 20% e 25% globalmente, de acordo com estimativas. Isso seria uma forma evitar até 1 milhão de novos casos nesse grupo em dez anos, segundo cálculos da OMS. A organização também afirma que esse grupo tem 19 vezes mais chances de contrair o vírus do HIV do que toda uma população.

Um relatório que foi divulgado na última sexta-feira informa que as taxas de infecção por HIV entre homens que mantem relações sexuais com outros homens continuam elevadas quase em todos os lugares, e por isso, outras opções de prevenção são imprescindíveis para o momento. A entidade destaca que a profilaxia pré-exposição é um meio das pessoas que não tem a doença mas estão suscetíveis a infecção, se prevenirem tomando apenas uma pílula – uma combinação de dois antirretrovirais – todos os dias.

Outros grupos

Em contraponto, o diretor do departamento de HIV da OMS, Gottfried Himschall, disse à agência France Presse que se um casal está em um relacionamento estável em que ambos são soronegativos, não há ricos de contrair a doença, então não há motivo para ingerir o medicamento. Em uma declaração dada pela OMS, eles também ressaltam que grupos importantes, não somente homens que mantem relações sexuais com homens, mas também detentos em prisões, pessoas que fazem uso de drogas injetáveis, prostitutas e transgêneros, não estão sendo avaliados e recebendo o tratamento necessário para prevenção e para o HIV, e isso pode ser a explicação para o vírus estar se espalhando tão rápido.