Publicado em: segunda-feira, 12/03/2012

Annan conversa com líderes árabes

O emissário da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, está no Catar, aonde irá se reunir com autoridades árabes em mais uma tentativa para que o impasse na Síria, que já dura um ano, acabe. Ele esteve com o presidente da Síria, Bashar al-Assad, que afirmou não querer “dialogar com opositores”. O ministro dos negócios Estrangeiros do Catar, o sheike Hamad Ben Jassem Al Thani, disse que é necessário avaliar a hipótese de mandar forças internacionais e árabes para a região dos conflitos.

O sheike afirmou que é favorável a uma intervenção militar na Síria como uma tentativa de acabar com os conflitos no país. Nesta segunda-feira (12), o Conselho de Segurança das Nações Unidas irá se reunir para mais uma discussão sobre a violência em território sírio. A reunião terá o apoio da Alemanha, Portugal e França, sendo que foi convocada pelo Reino Unido. O ministro das Relações Exteriores do Reio Unido, William Hague, afirmou que esta reunião irá servir para que se a posição dos integrantes da União Europeia se defina com relação à situação mundial.

Países que devem participar

Outros países também devem participar da reunião, como Líbia, Tunísia e Egito, que estão diretamente envolvidos com as negociações que buscam um acordo de paz na Síria. Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, também deve estar presente na reunião. Esta conversa irá acontecer depois da visita de Kofi Annan à Síria, durante o final de semana. O enviado especial da ONU tentou, mais uma vez, que o presidente sírio converse com os membros da oposição, mas não teve sucesso.

A Síria está em constante conflito há um ano, sendo que ao menos oito mil pessoas já morreram. Existem também denúncias de diversos tipos de violação contra os direitos humanos, como agressões sexuais, torturas e prisões indevidas. Civis são mortos frequentemente devido aos ataques do governo de Assad em diversas regiões.